Samba do Sino

A Roda surge da necessidade em manter acesa a chama da Cultura Popular Brasileira, trazendo a tona histórias que são cantadas através de sambas tradicionais de todo o território nacional, da velha guarda aos novos compositores, pois o Samba Presente Não Esquece o Passado, deixando prevalecer o sotaque do samba paulista, do rural ao urbano. O Sino surge devido à dificuldade em encerrar o Samba às 22h, pois é realizado em bairro residencial. Surge a idéia de se utilizar um sino para indicar o final do samba. Ai começaram a dizer: –“Vamos naquele samba, aquele que o cara toca o Sino...” Assim acaba-se adotando o nome Samba do Sino. Houve a aceitação e respeito geral e assim se conveniou tocar o Sino para começar e para terminar o Samba.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

ALINE CALIXTO – CD Flor Morena


Ela não para de bolir o seu tunda.

A faixa-título, “Flor Morena”, foi um presente do amigo Arlindo Cruz e de Zeca Pagodinho. Zeca compôs a música para sua filha, mas deu a Aline a responsabilidade de eternizá-la, mostrando a força das mulheres. “É uma música linda, porque retrata a mulher de forma muito doce, como uma flor, enquanto tem tanta letra por aí que bombardeia as mulheres.” O cuidado com o que canta também ajudou Aline a decidir colocar no repertório “Caçuá”, de Paulo César Pinheiro com o baiano Edil Pacheco. Quando ouviu, apaixonou-se. Mas não desencanou até descobrir o que queria dizer uma palavra na frase “Ela não para de bolir o seu tunda”. Aos risos, Paulo César traduziu “tunda” para “bumbum”.

 Outra dupla de ouro gravada por Aline Calixto é Nei Lopes e Moacyr Luz: a cantora interpreta o sincretismo em “Ecumenismo”. Parceiros da nova geração, João Cavalcanti e Joca Perpignan enviaram “De Partir Chegar” para conquistar a cantora. Segundo o líder do grupo Casuarina, a música é uma “cirandatu”, ou seja, uma mistura de ciranda com maracatu. Outra conquista foi a de Peu Meurray, um baiano que já acompanhou muitas feras e entregou a Aline uma música que fala sobre a universalidade do samba. “Cabila” teve partes gravadas na Bahia, assim como “Cafuso” (Toninho Geraes) e “Caçuá”. A Bahia, por sinal, acolheu muito bem Aline Calixto. Ela foi convidada a subir ao palco com Carlinhos Brown, Ivete Sangalo e Gilberto Gil no Sarau do Brow  e pôde ver de perto fãs cantando suas músicas.

 “Reza Forte” é uma música de Rodrigo Maranhão e Mauro Reza que homenageia Rio e Minas: “Eu misturo samba enredo com tambor mineiro na música.” Do baú de memórias, Aline resgatou “Je Suis la Maria”, de Dora Lopes, uma cantora da era do rádio descoberta no final da década de 40 por Ary Barroso e esquecida pelo tempo. O disco conta ainda com “Blá blá blá” (Toninho Geraes), “Me Deixa Que Eu Quero Sambar” (Mauro Diniz)  e uma belíssima releitura em voz e violão de uma canção de Paulinho da Viola da abençoada por ele mesmo por uma grande coincidência: no dia em que Aline estava gravando “Coração Vulgar” no estúdio, soube que o Príncipe do Samba estava na sala ao lado. Mesmo nervosa, foi até lá, convidou o ídolo para ouvir o que já estava registrado, e ganhou elogios.


"Desde a infância sempre ouvi muita música, principalmente com meu pai: Paulinho da Viola, Roberto Carlos, Dorival Caymmi, Maria Bethânia, Cartola, Tim Maia, Gonzaguinha. Saí do Rio e fui pra Belo Horizonte, mas teve um período em que fui estudar em Viçosa, em 2000. Lá, concomitantemente com a faculdade de Geografia, comecei a fazer um trabalho com samba, com meus amigos", conta. Formaram então uma roda de samba semanal. "Criamos uma cena onde não havia nenhuma. Isso foi muito interessante, porque inclusive esse movimento que a gente criou de tocar samba toda quinta-feira foi num local muito voltado para o rock. Acabou que a coisa ficou muito diversificada e virou ponto de referência."

Lá ela já fazia releituras de grandes clássicos do samba, mas também incluía composições próprias e de novos autores. É o caso de Original (de Santão e Sandro Borges, da cidade de Rio Pombas), que abre o CD. Outros novos mineiros presentes no álbum são Rodrigo Santiago (Rainha das Águas, parceria com Douglas Couto), Toninho Geraes e Toninho Nascimento (Tudo Que Sou, primeira faixa escolhida pela gravadora para tocar nas rádios), Affonsinho (Enfeitiçado) e o sensacional Renegado (Faz o Seguinte), mais conhecido como rapper. "Renegado é um grande dialogador. Consegue estabelecer pontes muito interessantes e não só com o samba", diz.

Fonte:  http://www.estadao.com.br/noticias/arteelazer,aline-calixto-une-rio-e-minas-pelo-samba,392467,0.htm



Tia Ciata - "A Mãe do Samba"

"TIA CIATA", MÃE DO SAMBA...

" O samba é o mais belo documento da vida e da alma do povo brasileiro". (Rosane Volpatto-extraído do Texto SAMBA, SABOR DO BRASIL) Um grande abraço ao nosso patrono PAULINHO DA VIOLA. (Veja mais na página História do Samba)
-------x-------

Pelo Fim da Ordem dos Músicos do Brasil !

Abaixo-Assinado Eletrônico pelo direito ao livre exercício da profissão de músico:

Participe você também, leia matérias neste blog.

Para assinar eletrônicamente:

http://www.carlosgiannazi.com.br/fale_conosco/abaixo-assinado-omb.htm

Paulinho da Viola- Entrevistado pelo programa Memória do Rádio

PAULINHO DA VIOLA - O Nosso Patrono

O Verso "Quando penso no futuro não esqueço meu passado" é creditado por Paulinho da Viola, em "Meu tempo é hoje", como sintese de sua obra, de sua vida. Recolhido de sua "Dança da Solidão"(72). (Pedro Alexandre Sanches - Folh aOn Line - 11/04/2003)

"Eu não costumo brigar com o tempo" afirma Paulinho da Viola (em 09/12/2004 - Folha On line)

"A música de Paulinho da Viola representa um universo particular dentro da cultura brasileira. Experimentá-la é reconhecer que a identidade cultural brasileira não é única, há sempre algo mais." (extraído do site de Paulinho da Viola)

A Obra de Paulinho da Viola já foi tema de livros, trabalhos acadêmicos, gravações e documentário. Em fase de finalizações, se encontra um Documentário realizado pela VideoFilmes com direção de Isabel Jaguaribe e roteiro de Zuenir Ventura. (Confira mais na página - PAULINHO DA VIOLA - Vídeos e muito mais)

-------x-------

AGENDA CULTURAL DA PERIFERIA

A Ação Educativa é uma organização não governamental sem fins lucrativos que desenvolve a apóia projetos voltados para a educação e juventude, por meio de pesquisas, formação, assessoria e produção de informações. Mantém em sua sede o espaço de Cultura e Mobilização Social, aberto ao público, que promove regularmente atividades de formação, intercâmbio e difusão cultural. Vale a pena acessar : http://www.acaoeducativa.org.br/

Confira As Comunidades de SAMBA divulgadas.
-------x-------

Samba do Sino comemora primeiro ano na noite de 15/12/2009 com história do samba

O Movimento Cultural Samba do Sino comemerou 01 ano de vida no último dia 15/12/2009, e presenteia os moradores da cidade com histórias que contam a evolução do samba no Brasil. A proposta nasceu com a idéia de resgatar esse pedaço da cultura popular. (Vanessa Coelho - Guarulhos Web 15/12/2009)