Samba do Sino

A Roda surge da necessidade em manter acesa a chama da Cultura Popular Brasileira, trazendo a tona histórias que são cantadas através de sambas tradicionais de todo o território nacional, da velha guarda aos novos compositores, pois o Samba Presente Não Esquece o Passado, deixando prevalecer o sotaque do samba paulista, do rural ao urbano. O Sino surge devido à dificuldade em encerrar o Samba às 22h, pois é realizado em bairro residencial. Surge a idéia de se utilizar um sino para indicar o final do samba. Ai começaram a dizer: –“Vamos naquele samba, aquele que o cara toca o Sino...” Assim acaba-se adotando o nome Samba do Sino. Houve a aceitação e respeito geral e assim se conveniou tocar o Sino para começar e para terminar o Samba.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

4º Festival Nova Brasil

Dando continuidade ao projeto que apresenta o melhor da moderna música brasileira para o público, a
Rádio Nova Brasil Fm promove no dia 17 de agosto (sábado) a quarta edição do evento, que escala alguns dos principais nomes da Música Popular Brasileira na Arena Anhembi. Neste ano, os escolhidos para participar do revezamento no palco são: Djavan, Jota Quest, Nando Reis, Luiza Possi e Oswaldo Montenegro!

Para esta edição, a rádio promete mais uma noite de muita alegria e diversão com as mais recentes turnês dos artistas, com antigos e novos sucessos, para um público estimado de 20 mil pessoas. Com cinco horas de duração, o festival traz artistas escolhidos pelo departamento artístico com base em pesquisas, acomodação de agendas de artistas e estilos musicais.

O que:- 4ª Festival Nova Brasil
Onde:- Arena Anhembi
End:- Avenida Olavo Fontoura, 1209 (Santana)
Quando:- Dia 17 de Agosto (sábado)
Horário:- Abertura dos portões às 15h, show às 18h
Na Bilheteria:- De R$ 1,00 a 180,00
Duração/Recomendação: Classificação: 16 anos
Telefone: 2226-0400

Confira os shows que farão parte da quarta edição do Festival Nova Brasil FM:

Djavan – Com quase 40 anos de sucessos, o cantor e compositor apresenta show da turnê “Rua dos Amores”, com sucessos do álbum homônimo, o primeiro de inéditas em cinco anos e o 21º de sua carreira. Dono de clássicos como “Oceano”, “Sina”, “Cerrado” e “Pétala”, o alagoano aposta na música “Bangalô” como carro chefe do novo trabalho, sem deixar de lado grandes clássicos como “Flor de Lis”, “Meu Bem Querer” e “Samurai”, dentre outros. Com cenário e direção de arte de Suzane Queiroz, lightingdesign de Binho Schaefer e figurino de Roberta Stamatto, Djavan assina a direção do show e sobe no palco acompanhado por uma superbanda, com a qual não tocava há 15 anos. Na formação, Carlos Bala (bateria), Glauton Campello (teclados e vocal), Jessé Sadoc (flügelhorn e trompete), Marcelo Mariano (baixo vocal), Marcelo Martins (flauta, saxofone e vocal), Paulo Calasans (teclados) e Torcuato Mariano (guitarras e violões).

Jota Quest–O quinteto de BH apresenta “Ao Vivo Jota Quest Folia & Caos”, um perfil bem humorado e emocionante do grupo que, há 15 anos, chegava pela primeira vez às paradas de sucesso com o álbum homônimo J.Quest. O show mistura canções inéditas e hits marcantes da carreira, além de novas versões de clássicos como “Tempo Perdido” de Renato Russo, “Pro Dia Nascer Feliz” de Cazuza e “Ive Brussel” de Jorge Bem Jor. Entre as novas músicas, destaque para as faixas “Tudo Está Parado” e “Mais Perto de Mim”.

Luiza Possi–A carioca traz ao palco o show “Seguir Cantando”, que marca uma década de carreira e reúne canções autorais e intimistas. Mais que comemorar dez anos, a apresentação consolida a estratégia da artista de chegar ao grande público e romper a barreira de preconceito contra gêneros e estilos, com oito composições da cantora, incluindo “Na Sua”, “Dias com Mais Horas” e “Minha Lua”, canções intimistas para mexer com emoções. O repertório traz ainda releituras de outros artistas, como “O Portão”, de Roberto Carlos, que assume roupagem roqueira nas mãos e guitarras de Luiza. Há espaço também para Luiza intérprete, nos acordes de “Deixa Estar”, “Vem Ver” e “Folhetim” e da musicista, nos teclados da música “Paisagem”.

Nando Reis–O cantor apresenta “Sei”, seu mais recente trabalho de inéditas, um dos melhores da exitosa carreira de 30 anos do ex-titã. O repertório é composto pelas novas canções “Sei”, “Pré-Sal”, “Back in Vânia”, “Declaração de Amor” e “Para quem não vem”, além dos já conhecidos “As coisas tão lindas”, “All Star”, “Pra você guardei o amor”, “Relicário” e “Espatódea”. A formação de Nando Reis e os Infernais tem Nando Reis (voz e violão), Felipe Cambraia (baixo e vocal), Diogo Grameiro (bateria e vocal), Alex Veley (teclados e vocal), Walter Villaça (guitarra e vocal) e conta com Gil Miranda e Hannah Lima no backing vocal.


Oswaldo Montenegro- O premiado artista leva ao palco do Anhembi o show “De Passagem”, com músicas de letras bem elaboradas, ótimas melodias e que já é aclamado pela crítica especializada. Com repertório vigoroso de músicas inéditas e grandes sucessos, o consagrado cancionista combina atitude e qualidade artística, mostrando grande capacidade de se reinventar enquanto passeia por diferentes sonoridades; do xaxado ao blues, balada, baião, canção, conjugando ceticismo, rebeldia e dialética nas letras suas e de outros autores. Com significativas nuances instrumentais, o show traz o lado músico de Motengero, que reveza-se no violão, piano, teclados e percussão apresentando as mais novas canções “A vida quis assim” e “Eu quero ser feliz agora”, dentre outras.

Tia Ciata - "A Mãe do Samba"

"TIA CIATA", MÃE DO SAMBA...

" O samba é o mais belo documento da vida e da alma do povo brasileiro". (Rosane Volpatto-extraído do Texto SAMBA, SABOR DO BRASIL) Um grande abraço ao nosso patrono PAULINHO DA VIOLA. (Veja mais na página História do Samba)
-------x-------

Pelo Fim da Ordem dos Músicos do Brasil !

Abaixo-Assinado Eletrônico pelo direito ao livre exercício da profissão de músico:

Participe você também, leia matérias neste blog.

Para assinar eletrônicamente:

http://www.carlosgiannazi.com.br/fale_conosco/abaixo-assinado-omb.htm

Paulinho da Viola- Entrevistado pelo programa Memória do Rádio

PAULINHO DA VIOLA - O Nosso Patrono

O Verso "Quando penso no futuro não esqueço meu passado" é creditado por Paulinho da Viola, em "Meu tempo é hoje", como sintese de sua obra, de sua vida. Recolhido de sua "Dança da Solidão"(72). (Pedro Alexandre Sanches - Folh aOn Line - 11/04/2003)

"Eu não costumo brigar com o tempo" afirma Paulinho da Viola (em 09/12/2004 - Folha On line)

"A música de Paulinho da Viola representa um universo particular dentro da cultura brasileira. Experimentá-la é reconhecer que a identidade cultural brasileira não é única, há sempre algo mais." (extraído do site de Paulinho da Viola)

A Obra de Paulinho da Viola já foi tema de livros, trabalhos acadêmicos, gravações e documentário. Em fase de finalizações, se encontra um Documentário realizado pela VideoFilmes com direção de Isabel Jaguaribe e roteiro de Zuenir Ventura. (Confira mais na página - PAULINHO DA VIOLA - Vídeos e muito mais)

-------x-------

AGENDA CULTURAL DA PERIFERIA

A Ação Educativa é uma organização não governamental sem fins lucrativos que desenvolve a apóia projetos voltados para a educação e juventude, por meio de pesquisas, formação, assessoria e produção de informações. Mantém em sua sede o espaço de Cultura e Mobilização Social, aberto ao público, que promove regularmente atividades de formação, intercâmbio e difusão cultural. Vale a pena acessar : http://www.acaoeducativa.org.br/

Confira As Comunidades de SAMBA divulgadas.
-------x-------

Samba do Sino comemora primeiro ano na noite de 15/12/2009 com história do samba

O Movimento Cultural Samba do Sino comemerou 01 ano de vida no último dia 15/12/2009, e presenteia os moradores da cidade com histórias que contam a evolução do samba no Brasil. A proposta nasceu com a idéia de resgatar esse pedaço da cultura popular. (Vanessa Coelho - Guarulhos Web 15/12/2009)