Samba do Sino

A Roda surge da necessidade em manter acesa a chama da Cultura Popular Brasileira, trazendo a tona histórias que são cantadas através de sambas tradicionais de todo o território nacional, da velha guarda aos novos compositores, pois o Samba Presente Não Esquece o Passado, deixando prevalecer o sotaque do samba paulista, do rural ao urbano. O Sino surge devido à dificuldade em encerrar o Samba às 22h, pois é realizado em bairro residencial. Surge a idéia de se utilizar um sino para indicar o final do samba. Ai começaram a dizer: –“Vamos naquele samba, aquele que o cara toca o Sino...” Assim acaba-se adotando o nome Samba do Sino. Houve a aceitação e respeito geral e assim se conveniou tocar o Sino para começar e para terminar o Samba.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Banda Bantantã




Banda Bantantã
Data: 1/2
Horário: a partir das 16h
Local de encontro: Avenida Waldemar Ferreira, esquina com a Rua Desembargador Armando Fairbanks – Butantã

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco Barracão da Folia




Bloco Barracão da Folia
Data: 2/2/2013
Horário: a partir das 11h
Local de encontro: Avenida Abraão Ribeiro, 503 – Barra Funda

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Classe A


Classe A
Data: 2/2
Horário: a partir das 12h
Local de encontro: Rua Souza Lima, 295

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco da Ressaca




Bloco da Ressaca
Data: 2/2
Horário: a partir das 14h
Local de encontro: Largo do Cambuci

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco Pega o Lenço e Vai


Bloco Pega o Lenço e Vai
Data: 02/02        
Horário: a partir das 15h
Local de encontro: Rua San Juan, 121 - Parque das Américas - Estação Guapituba da CPTM

Carnaval São Paulo 2013 Blocos Bloco Esquina da Vila Buarque

Bloco Esquina da Vila Buarque
Data: 02/02
Horário: 17h
Local de encontro: Esquina da General Jardim com a Dr. Vila Nova


Carnaval São Paulo 2013 Blocos Banda Grande Família


Banda Grande Família
Data: 2/2
Horário: a partir das 18h
Local de encontro: Avenida Engenheiro Caetano Álvares, 7599 - Santana

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco Unidos do Abaeté


Bloco Unidos do Abaeté
Data: 2/2/2013
Horário: 15h
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco da Bateria Makossa


Bloco da Bateria Makossa
Data: 2/2
Horário: 15h45
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco a Bruxa tá Solta


Bloco a Bruxa tá Solta
Data: 2/2
Horário: 16h45
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco Império do Morro




Bloco Império do Morro
Data: 2/2/2013
Horário: 17h45
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos Escola de Samba Quilombo



Escola de Samba Quilombo
Data: 2/2
Horário: 18h45
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco API 80 anos


Bloco API 80 anos
Data: 2/2
Horário: 19h45
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco Fuzuê


Bloco Fuzuê
Data: 2/2 (com a participação do G.R.C.S. Vai-Vai) e 03/02 (com participação da Sociedade Rosas de Ouro)
Horário: 20h45 (2/2) e 20h (3/2)
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Cordão Carnavalesco Kolombolo diá Piratininga




Cordão Carnavalesco Kolombolo diá Piratininga
Data: 2/2
Horário: a partir das 15h
Local de encontro: Rua Belmiro Braga – Vila Madalena

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Pimentas do Reino



Pimentas do Reino
Data: 2/2/2013
Horário: a partir das 14h
Local de encontro: Rua Girassol – Vila Madalena

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Banda Grone’s


Banda Grone’s
Data: 3/2
Horário: a partir das 16h
Local de encontro: Rua Eduardo Vicente Nasser, 354 – Tremembé

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Banda do Fuxico




Banda do Fuxico
Data: 3/2
Horário: a partir das 12h
Local de encontro: Largo do Arouche, 88/96 – Centro

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Comunidade Boliviana





Comunidade Boliviana
Data: 3/2
Horário: 15h
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco Med Pholia



Bloco Med Pholia
Data: 3/2
Horário: 15h45
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco Unidos da Melhor Idade





Bloco Unidos da Melhor Idade
Data: 3/2/2013
Horário: 16h45
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco Cultura Viva




Bloco Cultura Viva
Data: 3/2/2013
Horário: 17h45
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Escola de Samba União Formosa





Escola de Samba União Formosa
Data: 3/2
Horário: 18h30
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco União Almanara


Bloco União Almanara
Data: 3/2
Horário: 19h15
Local de encontro: Estação da Luz

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Cordão Carnavalesco Confraria do Pasmado





Cordão Carnavalesco Confraria do Pasmado
Data: 3/3
Horário: a partir das 12h
Local de encontro: Rua Nova Veneza – Vila Madalena

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Bloco Nóis Trupica Mais Não Cai


Bloco Nóis Trupica Mais Não Cai
Data: 3/2
Horário: a partir das 15h
Local de encontro: Rua Belmiro Braga – Vila Madalena

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Maria Madalena e os Alagados do Rio Verde




Maria Madalena e os Alagados do Rio Verde
Data: 3/2
Horário: a partir das 18h
Local de encontro: Praça Aprendiz das Letras – Vila Madalena

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua





Bloco do Ó
Data: 3/2
Horário: a partir das 15h
Local de encontro: Rua Horácio Lane – Vila Madalena

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua Banda Redonda


Banda Redonda
Data: 4/2
Horário: a partir das 19h
Local de encontro: Rua Theodoro Baima, 94, esquina com a Rua da Consolação e Avenida Ipiranga (Teatro de Arena) – Consolação

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua - Bloco Umes Caras-pintadas


Bloco Umes Caras-pintadas
Data: 5/2
Horário: a partir das 17h
Local de encontro: Rua Rui Barbosa, 323 – Bela Vista

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua


Banda do Candinho
Data: 6/2
Horário: a partir das 17h
Local de encontro: Rua Santo Antônio, esquina com a Rua 13 de Maio – Bixiga

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua





Bloco dos Bancários
Data: 07/02
Horário: 17:30h
Local de encontro: Rua São Bento,413 - Centro.

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua


Banda do Trem Elétrico
Data: 8/2/2013
Horário: a partir das 19h
Local de encontro: Rua Augusta, esquina com a Rua Luiz Coelho – Consolação

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua




Vai Quem Quer
Datas: 9 a 12/2/2013
Horário: a partir das 20h
Local de encontro: Praça Benedito Calixto – Vila Madalena

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua




João Capota na Alves
Data: 10/2/2013
Horário: a partir das 14h
Local de encontro: Rua João Moura – Vila Madalena

Carnaval São Paulo 2013 Blocos de Rua



Bloco dos Esfarrapados
Data: 11/2/2013
Horário: a partir das 12h
Local de encontro: Rua Conselheiro Carrão, 4666 – Bela Vista

Herivelto Martins - Mural do Samba do Sino


Herivelto de Oliveira Martins (Vila de Rodeio, 30 de janeiro de 1912 — Rio de Janeiro, 17 de setembro de 1992) foi um dos maiores compositores Brasileiro e foi Também cantor, músico e ator.

Em 1925, com apenas 13 anos, Herivelto conheceu os artistas circenses Zeca Lima e Colosso, que passavam pela cidade, e com eles formou um trio e seguiu para Juparanã, onde apresentaram um grandioso espetáculo. Durante um ano, o trio apresentou-se pelo interior do Rio de Janeiro, até que, procurados pela Polícia, Colosso e Zeca Lima foram presos em Vassouras e o delegado mandou Herivelto para casa.

Em 1930, com a promoção de "Seu" Félix, a família foi morar no Brás, a Rua Saião Lobato, em São Paulo e se empregou em um botequim, onde ganhou o apelido de Carioca.

Após mais uma discussão com o pai, aos 18 anos de idade e com apenas 1 conto e 200 réis no bolso, Herivelto partiu para o Rio de Janeiro, com o desejo de tentar uma carreira artística. Ele passou a dividir o aluguel de um pequeno quarto com seu irmão, Hedelacy, e mais seis rapazes, quatro deles mortos na Revolução de 32. Para sobreviver, teve de vender o relógio Roskoff "Estrada de Ferro", presente de seu padrinho.

No Rio de Janeiro, Herivelto foi palhaço de circo, vendedor, ajudante de contabilidade e, aos sábados, fazia barbas na barbearia onde o irmão Hedelacy trabalhava. Com o dinheiro da gorjeta, garantia o "Feijão à Camões" (prato fundo com feijão preto e uma colher de arroz no meio), do Bar de "Seu" Machado", da semana.

Foi no Bar de "Seu" Machado que Herivelto recebeu o convite de "Seu" Licínio, para gerenciar sua barbearia no Morro de São Carlos. Era sua oportunidade de conhecer os grandes sambistas que ali moravam. Foi no São Carlos onde Herivelto conheceu o compositor José Luís da Costa - Príncipe Pretinho - que lhe apresentou a J.B. de Carvalho, do Conjunto Tupi, amigo do dono da gravadora RCA Victor.

Em 1932, Herivelto Martins, através de uma parceria com J.B. de Carvalho, conseguiu lançar, pela RCA Victor, sua composição Da Cor do Meu Violão, homenagem a uma namorada que teve no bairro do Carvão, em Barra do Piraí, que seu pai insistia em dizer que era escura demais para ele. A marchinha fez grande sucesso no carnaval daquele ano, o que levou Herivelto a integrar o coro do Conjunto Tupi como ritmista. Ele inovou ao fazer breques durante as gravações, quando isso não era permitido, e por essa e outras iniciativas, Mister Evans, diretor geral da RCA Victor, o promoveu a diretor do coro.

Em 1933, Herivelto teve mais duas músicas gravadas: O Terço do Zé Faustino, com Euclides J. Moreira, pelo Conjunto Tupi, e O Enterro da Filomena, pelo Conjunto RCA.
Em uma época em que o samba ainda não havia descido o morro e ganhado a cidade, Herivelto criou várias músicas para homenagear a Estação Primeira de Mangueira, entre elas: Saudosa Mangueira e Lá em Mangueira.

Em 1986, Herivelto Martins foi homenageado pela escola de samba Unidos da Ponte, com o enredo Tá na hora do samba, que fala mais alto, que fala primeiro, o homenageado participou do desfile. Fonte Wikipédia.

Assista Vídeo:-

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Carnaval de Rua em Guarulhos BLOCO DO SINO 2013

Dia 09/02/13 as 16 h.


Abram Alas. Pela primeira vez o Bloco do Sino estará brincando o Carnaval com seus Foliões pelas ruas do Bairro do jardim Tranquilidade em Guarulhos. O cortejo contará com uma Banda com mais de 10 músicos e no repertório as marchinhas saudosas, frevos e sambas dos Bailes de Carnaval. O objetivo é brincar o Carnaval, pode trazer a sua fantasia ou uma Camisa Vermelha, muito folego e disposição  para sambar seguindo a banda pelas Ruas. Vale jogar confete e serpentina. Vale trazer o apito e o martelinho. Aqui o mascarado tem vez.

O que:- Bloco do Sino - Carnaval de Rua
Quando:- 09/02/2013
Horário:- às 15h.
Concentração: Rua Jacob, 223 – Jd Tranquilidade - Guarulhos
Trajeto:-Rua Jacob, Praça N Sra Fátima, Rua Manoel Quintão, R Cabo Antonio P. Silva, R Gabriel Delane, R Jacob.



Folião venha brincar com o BLOCO DO SINO neste Carnaval de 2013 aqui em Guarulhos. Traga sua Fantasia ou 01 CAMISA VERMELHA. A BANDA já está afinando seus instrumentos e vai ter muita marchinha e samba no pé. Esperamos por você e sua Família.

Bloco do Asinha abre o Carnaval de Guarulhos neste sábado 26/01/2013

Guarulhos (SP) - Pelo terceiro ano seguido, o Bloco do Asinha abrirá o Carnaval de rua de Guarulhos. O desfile acontece neste sábado (26), a partir das 15 horas, e deve reunir mais de 500 foliões pelas principais vias da região central da cidade. A concentração será na rua São Jorge (em frente ao Boteco do Asinha) e a festa terá o comando da bateria da escola de samba Caprichosos da Vila.

Criado em 2010, o bloco tem como marcas registradas o bom humor e a descontração, características que contagiam as pessoas e atraem mais foliões durante o percurso. Neste ano, o tema do enredo é “Amizade”, com um samba de autoria de Jorge e Messias (Colégio do Pagode), onde retrata de forma irreverente a amizade entre os frequentadores do tradicional boteco guarulhense.

Um dos pontos altos do evento será a presença da Corte do Carnaval de Guarulhos – formada pelo Rei Momo Édipo Ricardo, Rainha Thainara Primo, e pelas princesas Glauce Regina e Aline Samantha, acompanhados do Passista de Ouro, Alexandre Nogueira, do Cidadão do Samba, Orlando Marques Júnior e da Cidadã do Samba, Margarida Rocha. Comandantes da folia na cidade, eles terão a companhia das musas do bloco: Carla (2013), Débora (2012) e Sabrina (2011).

A festa também é uma ótima oportunidade para relembrar antigos carnavais. Após o desfile, a banda “Os Magnéticos” apresentará um repertório repleto de marchinhas que animaram os foliões nos anos 60, 70 e 80, com destaque para as inesquecíveis “Jardineira”, “Cabeleira do Zezé”, “Mamãe eu Quero”, “Aurora” e “Mulata Bossa Nova”, entre outras.

Os interessados em participar do desfile devem se apressar. O kit do bloco (que contem um abadá e dez fichas para consumo de bebidas) está à venda por R$ 40. Mais informações pelo telefone 2229-0574 (a partir das 17h) e na página do bloco no Facebook/BlocoDoAsinha.

O Bloco do Asinha conta com o patrocínio da Zuccaro Imóveis, Ivan´s Bar, Ella Comércio de Veículos, Cerveja Itaipava, Divier Transportes, Japan Designers, Trans Vitor Transportes, Point do Açaí, G10 Sports, Info Credit, L3U Comunicação Visual, além do apoio cultural da Liga Independente das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Guarulhos (Liesg) e da Prefeitura de Guarulhos.

Sucesso de público

Um aperitivo do que será o desfile foi dado no último domingo (20), quando o ensaio geral do bloco reuniu cerca de 300 pessoas. Os foliões se divertiram ao som da bateria da Escola de Samba Caprichosos da Vila e dos irmãos Jorge e Messias, do Grupo Colégio do Pagode, que cantaram o enredo deste ano com muita empolgação. Fonte facebook bloco da asinha.


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

BLOCO CARNAVALESCO NA RUA em Guarulhos


Bloco de Carnaval de Rua em Guarulhos

Dia:- 09/02/2013
Horário:- 17h (Concentração)
Concentração:- Rua Francisco Foot - em frente ao Teatro Padre Bento - Gopoúva - Guarulhos
Percurso:- R Francisco Foot, R Dr Renato Pacheco Braga, R Jacob até o nº 223
Dispersão:- R Jacob, 223 - Jd Tranquilidade - Guarulhos - SP - Galpão Giramundo - Centro Cultural Padre Manoel Paiva.
Horário:- até 21h (Dispersão)
Participação Gratuita. Solicitamos aos foliões trajarem uma camisa Vermelha.
Não serão permitidas a participação de foliões trajando camisas de clube ou torcidas de futebol.
O Percurso será acompanhado por Banda que animará o desfile.

Objetivo:- Foliões que se reúnem de forma semi organizada com o intuito de brincar o Carnaval pelas ruas do bairro do Jardim Tranquilidade – Guarulhos – SP. Durante o cortejo serão executadas marchas carnavalescas conhecidas.

Para se inscrever enviar e-mail com nome e fone para sambadosino@gmail.com

Samba do Sino dia 22/02/2013 às 20h


O que:- Samba do Sino
Quando:- 22/01/2013
Horário:- 20h
Onde:- Galpão Giramundo – Centro Cultural Padre Manoel Paiva
End:- R Jacob, 223 – Jd Tranquilidade – Guarulhos – SP
Entrada Franca

Elis Regina


Elis Regina Carvalho Costa (Porto Alegre, 17 de março de 1945 – São Paulo, 19 de janeiro de 1982) foi uma intérprete brasileira. Conhecida por sua presença de palco histriônica, sua voz e sua personalidade, Elis Regina é considerada por muitos críticos, comentadores e outros músicos a melhor cantora brasileira de todos os tempos. Com os sucessos de Falso Brilhante e Transversal do Tempo, ela inovou os espetáculos musicais no país e era capaz de demonstrar emoções tão contrárias, como a melancolia e a felicidade, numa mesma apresentação ou numa mesma música.

Como muitos outros artistas do Brasil, Elis surgiu dos festivais de música na década de 1960 e mostrava interesse em desenvolver seu talento através de apresentações dramáticas. Seu estilo era altamente influenciado pelos cantores do rádio, especialmente Ângela Maria, e a fez ser a grande revelação do festival da TV Excelsior em 1965, quando cantou "Arrastão" de Vinicius de Moraes e Edu Lobo. Tal feito lhe conferiu o título de primeira estrela da canção popular brasileira na era da TV. Enquanto outras cantoras contemporâneas como Maria Bethânia haviam se especializado e surgido em teatros, ela deu preferência aos rádios e televisões. Seus primeiros discos, iniciando com Viva a Brotolândia (1961), refletem o momento em que transferiu-se do Rio Grande do Sul ao Rio de Janeiro, e que teve exigências de mercado e mídia. Transferindo-se para São Paulo em 1964, onde ficaria até sua morte, logrou sucesso com os espetáculos do Fino da Bossa e encontrou uma cidade efervescente onde conseguiria realizar seus planos artísticos. Em 1967, casou-se com Ronaldo Bôscoli, diretor do Fino da Bossa, e ambos tiveram João Marcelo Bôscoli.

Elis Regina aventurou-se por muitos gêneros; da MPB, passando pela bossa nova, o samba, o rock ao jazz. Interpretando canções como "Madalena", "Como Nossos Pais", "O Bêbado e a Equilibrista", "Querelas do Brasil", que ainda continuam famosas e memoráveis, registrou momentos de felicidade, amor, tristeza, patriotismo e ditadura militar no país. Ao longo de toda sua carreira, cantou canções de músicos até então pouco conhecidos, como Milton Nascimento, Ivan Lins, Renato Teixeira, Aldir Blanc, João Bosco, ajudando a lançá-los e a divulgar suas obras, impulsionando-os no cenário musical brasileiro. Entre outras parcerias, é célebre os duetos que teve com Jair Rodrigues, Tom Jobim, Simonal, Rita Lee, Chico Buarque—que quase foi lançado por ela não fosse Nara Leão ter o gravado antes—e, por fim, seu segundo marido, o pianista César Camargo Mariano, com quem teve os filhos Pedro Mariano e Maria Rita. Mariano também ajudou-a a arranjar muitas músicas antigas e dar novas roupagens a elas, como com "É Com Esse Que Eu Vou".

Sua presença artística mais memorável talvez esteja registrada nos álbuns Em Pleno Verão (1970), Elis & Tom (1974), Falso Brilhante (1976), Transversal do Tempo (1978), Saudade do Brasil (1980) e Elis (1980). Ela foi a primeira pessoa a inscrever a própria voz como se fosse um instrumento, na Ordem dos Músicos do Brasil.[9] Elis Regina morreu precocemente em 1982, com apenas 36 anos, deixando uma vasta obra na música popular brasileira. Embora haja controvérsias e contestações, os exames comprovaram que havia morrido por conta de altas doses de cocaína e bebidas alcoólicas, e o fato chocou profundamente o país na época.

Elis Regina criticou muitas vezes a ditadura brasileira, nos difíceis Anos de chumbo, quando muitos músicos foram perseguidos e exilados. A crítica tornava-se pública em meio às declarações ou nas canções que interpretava. Em entrevista, no ano de 1969, teria afirmado que o Brasil era governado por gorilas[18] (há ainda controvérsias em relação a essa declaração. Existem arquivos dos próprios militares onde ela se justifica dizendo que isso foi criado por jornalistas sensacionalistas). A popularidade a manteve fora da prisão, mas foi obrigada pelas autoridades a cantar o Hino Nacional durante um espetáculo em um estádio, fato que despertou a ira da esquerda brasileira.

Sempre engajada politicamente, Elis participou de uma série de movimentos de renovação política e cultural brasileira, com voz ativa da campanha pela Anistia de exilados brasileiros. O despertar de uma postura artística engajada e com excelente repercussão acompanharia toda a carreira, sendo enfatizada por interpretações consagradas de O bêbado e a equilibrista (João Bosco e Aldir Blanc), a qual vibrava como o hino da anistia. A canção coroou a volta de personalidades brasileiras do exílio, a partir de 1979. Um deles, citado na canção, era o irmão do Henfil, o Betinho, importante sociólogo brasileiro. Também merece destaque, o fato de Elis Regina ter se filiado ao PT, em 1981.

Outra questão importante se refere ao direito dos músicos brasileiros, polêmica que Elis encabeçou, participando de muitas reuniões em Brasília. Além disso, foi presidente da Assim, Associação de Intérpretes e de Músicos. Fonte Wikipédia.

Assista vídeo: 

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Juliano Neto dia 18/01/2013


No Pico Bar

Sabadão com os amigos é tudo de bom, neh?!

Que tal curtir seu sábado à noite ao som de uma boa música ao vivo, degustando os melhores espetinhos da cidade?

Este sábado o repertório de clássicos fica por conta de Juliano Neto. Bora?
Fica a dica...

O que:- Juliano Neto
Quando:- 18/01/2013
Horário:- 20h
Onde- O Pico Espeto Bar
End:- Rua Cardeal Arcoverde,1433 - São Paulo - SP

Equipe O Pico.
- Lugar de saborear os melhores espetinhos de São Paulo ao som do melhor da MPB.

Mais informações e reservas fale conosco:

Carnaval 2013 SP BLOCO "PEGA O LENÇO E VAI"


Ensaio Geral Domingo 19/02/2013

O que:- ENSAIO GERAL.
Quem:- BLOCO DE SAMBA “PEGA O LENÇO E VAI” 2013
Quando:- 19/01/2013
Horário: 15h
Onde: CCDL - Centro Cultural Dona Leonor
End:- Rua San Juan, 121 Parque das Américas - Estação CPTM Guapituba. Uns 5 minutos a pé da estação Guapituba.

TEMA: LUIZ GAMA
CARTA ABERTA
O Bloco de Samba Pega o Lenço e Vai foi criado por um grupo de trabalhadores. O bloco se reúne há três anos para levar as ruas do Parque das Américas (Mauá – SP), um momento lúdico e de protesto. O grande objetivo é trazer à tona personalidades negras do Brasil, garantindo a lei 10.639/2003 que exige que as escolas públicas (Municipais e Estaduais) e particulares introduzam a historia do negro, negligenciada até então do currículo escolar nacional. Porém, observamos que não há um esforço para o cumprimento desta lei, uma vez que a formação no ensino superior, também nega as lutas e as contribuições do negro para o desenvolvimento do Brasil, ao longo dos seus 512 anos. Assim, este ano apresentamos em nosso tema uma das figuras mais relevante da historia do Brasil: Luiz Gonzaga Pinto da Gama, ou simplesmente, LUIZ GAMA. Nascido em 21 de junho de 1830, na cidade de São Salvador, capital da Bahia, Luiz Gama era filho de Luiza Mahin, africana livre, oriunda da Costa da Mina (Nagô de nação). Luíza, descrita por Luiz Gama era uma mulher rebelde e insubmissa, que não aceitava a escravidão, e juntamente com um grupo de africanos de diversas nações participou na Revolta dos Malês (25 de janeiro de 1835, São Salvador – Bahia). Seu pai, um fidalgo português o vendeu aos 10 anos de idade para o mercado de escravos de forma ilegal, como pagamento de uma dívida de jogo. O menino Luiz Gama passa pelo Rio de Janeiro, e desembarca no porto de Santos. Ele é trazido para Campinas a pé, porém ninguém o quer como escravo, por ele ser baiano. (Naquele momento, escravos oriundos da Bahia eram tidos como escravos insubmissos, causando problemas aos seus donos.). Desta forma, ele continua com o seu “dono”. Aos 17 anos, aprende a ler, escrever e a contar alguma coisa, com a ajuda de um Alferes que havia se instalado na fazenda que o pequeno Luiz se encontrava. Buscando compreensão de sua história, descobre que fora vendido de forma ilegal, em 1848 e foge da fazenda. No mesmo ano, senta Praça na Força Pública da Província de São Paulo, onde trabalha até 1854, e então recebe baixa por insubordinação, pois ameaçou um oficial que o havia insultado, ficando preso por 39 dias. Na busca por aprimoramento intelectual, Luiz Gama consegue um novo emprego no serviço público como escrivão e perante diversas autoridades policiais foi nomeado amanuense (Escrevente de documentos Oficiais) da Secretaria de Polícia, onde serviu até os seus 38 anos, sendo demitido em 1869 devido sua defesa pública a um africano de nome Jacinto, de Minas Gerais, aportado no Brasil após 1831, ano em que foi aprovada uma lei que proibia o tráfico de africanos em terras tupiniquins. Luiz Gama lança em 1859 um livro de poemas no qual utiliza toda sua destreza e inteligência em suas “Primeiras Trovas Burlescas de Getulino” (De 1859 - 1ª Edição e de 1861 - 2ª Edição – Sob pseudônimo Getulino). Apesar de sofrer um abalo econômico, por estar sem emprego, empreende a carreira de jornalista, para assim, continuar em sua luta abolicionista. Iniciou como tipógrafo no jornal O Ipiranga e já em 1869, passou a fazer parte da redação do jornal Radical Paulistano em um ambiente com grandes personagens como Castro Alves, Joaquim Nabuco e Rui Barbosa. A partir de 1868, Luiz Gama iniciou um dos seus feitos memoráveis, no trabalho como rábula (Advogado sem diploma – atividade permitida na época), no qual, o exercia em defesa de escravos nos tribunais do Império, pelas suas alforrias. Tem-se noticia de que conseguiu alforriar cerca de 500 negros escravizados. Em uma de suas defesas, ele pronuncia a seguinte frase: O escravo que mata seu senhor, seja em quais circunstâncias for, mata sempre em legitima defesa! Estendendo suas ações em prol de uma sociedade livre, acompanhado de personalidades como Dr. Américo Brasiliense e José Luiz Flacquer entre outros, inicia a tentativa de fundação do Partido Republicano. Porém, após o Primeiro Congresso Republicano, em São Paulo Luiz Gama, descontente com o posicionamento do partido em não discutir a abolição da escravidão sem concessão de indenização aos donos de escravos, passa a fazer críticas aos Republicanos. Ressaltamos ainda a sua luta através da Imprensa, no qual foi um dos idealizadores, criadores e colaboradores dos jornais humorísticos “O Diabo Coxo” (De 1864 – 1865 - Sob pseudônimo Getulino), o “Cabrião” (De 1866 – 1867 - Sob pseudônimo Barrabás), “Radical Paulistano” (De 1869), “O Coaracy” (De 1876), “O Polichinelo” (De 1876). Em 24 de agosto de 1882, morre vitima de Diabetes, em São Paulo. Por isto, este ano de 2013, o Bloco de Samba “Pega o Lenço e Vai”, traz a memória deste que foi uma das figuras mais atuantes no cenário político do Brasil Imperial, combatendo a escravidão de todas as formas. Sendo ele negro e ex- escravo, transformou a historia do Brasil, abalando com a estrutura do sistema escravista. Eis aqui, Luiz Gonzaga Pinto da Gama, ou simplesmente:

LUIZ GAMA. (1830 – 1882)

“O livro é o mais útil e sincero amigo do homem bom.”
O Polichinelo, de 27 de agosto de 1876.

Samba Na Feira - Domingo dia 20/01/13


Participem de uma Roda em plena feira-livre. E aproveitem para saborear os pastelzinho meia-lua e o delicioso peixe preparado pela dona Valquíria no bar do Sr. Osmar.

O que:- SAMBA NA FEIRA
Quando:- DOMINGO DIA 20/01/2013
Horário: 12h
End:- Rua Eulina,256 – altura do 2200 da Av. Deputado Emílio Carlos – PQ Santa Maria – Limão.
Entrada Franca

Clube do Samba SP dia 19/01/2013


Aniversário de Anderson Silva

Nova temporada do Clube do Samba SP no Cantinho do Peruche e no dia 19 de Janeiro aniversario do Poeta Anderson Silva sábado a partir da 15:00hs estão todos convidados entrada gratuita.

O que:- Clube do Samba SP
Quem:- Aniversário de Anderson Silva
Quando:- 19/01/2013
Onde:- Unidos do Peruche
End:- Avenida Ordem e Progresso, 1061, 02518-130 São Paulo
Entrada Franca

Conjunto Retratos 20/01/2013


Recital: Choro da Terra da Garoa

No próximo domingo 20/01/2013, o Centro Cultural do Jabaquara apresenta às 11h o recital “O CHORO DA TERRA DA GAROA” com o Conjunto Retratos e convidados, a Edição de número 74 do Projeto Choro na Manhã faz uma homenagem ao aniversário da cidade de São Paulo.

O Grupo tocará os clássicos do Choro irão relembrar os grandes mestres do choro de São Paulo como Esmeraldino Sales, Zequinha de Abreu, Bonfiglio de Oliveira, Raul Silva, Magda dos Santos, Garoto entre outros.

O Conjunto Retratos é formado por Paulo Gilberto (Flauta), César Ricardo (Violão 7 cordas), Alex Mendes (Bandolim), Fernando Henrique (Cavaquinho) e Donisete Fernandes (Pandeiro).

Antes da apresentação, será oferecido um café da manhã gratuitamente ao público presente.

O que:- Recital: Choro da Terra da Garoa
Quem:- Conjunto Retratos
Quando:- Domingo 20 de Janeiro de 2013
Horário:- 11h
Entrada Gratuita
Onde:- Auditório do Centro Cultural Jabaquara
End:- Rua Arsênio Tavolieri n.º 45 – Jabaquara - São Paulo/SP
(Próximo a Estação Jabaquara do Metrô)
Informações: (11) 5011-2421 ou www.facebook.com/ChorinhoBrasil
Quantidade de lugares: 250

Roda de Samba do Magrão no Espaço Refúgio 23/01/2013


Estamos voltando ano novo, novo dia , novas festas e mais amigos convido a todos a participar da roda de samba do magrão no Espaço Refugio dia 23 de janeiro quarta feira das 19:00hs á meia noite.

O que:- Roda de Samba do Magrão
Quando:- Quarta, 23 de janeiro de 2013
Horário:- 19:00 até 00:00
Onde:- ESPAÇO REFÚGIO
End:- Rua Julio de Castilhos, 412, 03059-001 São Paulo
Ingressos:- H 15,00, M 10.00
Reservas (11) 2698-5898.

1º Almoço dos Sambistas e Comunidades de Samba de São Paulo


Uma grande roda de samba que você não pode perder!

Ultimo domingo do mês 27/01 no "Maria Zélia" faremos nosso 1° almoço dos sambistas & comunidades de samba de Sampa (todos intimados) , venham almoçar e curtir uma enorme roda de samba com grandes bambas.

Além de um super show com a banda sambarockano e toda sua equipe.

Ao todo 45 sambistas e 5 comunidades estão confirmados mas ainda faltam muitos para confirmar presença , vamos começar o ano de forma unifica , festa totalmente familiar " imperdível "

O que:- 1º Almoço dos Sambistas e Comunidades de Samba de São Paulo
Quem:- Projeto Sam’Bar no Maria Zélia
Quando:- Domingo, 27 de janeiro de 2013
Horário:- 14:00 até 22:00
Preço Único 10 reais ( Crianças Até 10 Anos não Pagam )
Informações : Brão Lopes (oi) 96559 9190 / (fixo) 2742 7668
Nextel 7865 2497 / ID 11*1016859 / Binho 99214 4509
Das 14h ás 22h
Organização: Projeto Sam´Bar & Brão Lopes Eventos

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Carnaval de São Paulo 2013 Nenê de Vila Matilde


Nenê de Vila Matilde
Segunda noite: dia 9 de fevereiro de 2013 (sábado)
Local: Sambódromo – Grupo Especial ANHEMBI
Horário:- 22h30
* Os horários são previsões da Liga das Escolas de Samba de SP e podem sofrer alterações dependendo da duração de cada desfile

1 - Nenê de Vila Matilde
Samba-Enredo: “Da revolta dos búzios a atualidade. Nenê canta a igualdade"

"A igualdade é uma mulher de ombros largos e risada escandalosa que mete medo aos tiranos e com o povo é carinhosa"... (Aninha Franco)

Prefácio:
Aqueles que oprimem, enxergam a Igualdade como uma ameaça a seus interesses eprivilégios, diferentemente daqueles que estão do outro "lado" da história, que buscam a Igualdade como única forma de viver numa sociedade justa, em que todos sejam tratados com o mesmo valor, independentemente de sua classe social ou racial, mostrando o mundo e repartindo o pão, sendo elas João ou Maria, numa terra de paz e amplidão.

A Nenê de Vila Matilde, orgulha-se de suas diferentes raças, credos e classes sociais, pois Igualdade é liberdade e não repressão!De uma forma alegre e descontraída, sonhando com um país de direitos e liberdade, queremos homenagear todos aqueles que dedicaram e dedicam suas vidas a lutas, batalhas e acima de tudo, a oportunidades de Igualdade...pois ninguém é de ninguém, mais podem ter os mesmos objetivos!   
                                                              
Desenvolvimento:
1º SETOR: A REVOLTA DOS BÚZIOS, UMA HISTÓRIA DE IGUALDADE!
A história do nosso povo é uma história de lutas, conquistas e também de uma brutal repressão, em que o povo sempre soube que é o sujeito e não o objeto da história. Heróis ocultos, organizam-se e lutam; veem além dos passos que estão a dar. A Revolta dos Búzios (nome dado devido ao fato de os revoltosos usarem búzios presos no punho para facilitar a identificação entre si), também conhecida como a revolta dos Alfaiates ou Conjuração Baiana, que ocorreu em 1798, na cidade de Salvador, foi a mais importante manifestação anticolonial e de luta pela igualdade racial da história do Brasil.

Propunha um movimento que, embora abortado no nascedouro, assumiu imenso significado para a história do país, pois os seus ideais estavam muito a frente de seu tempo.   Pregavam a proclamação da República, o livre comércio, a abertura dos portos e a abolição da escravatura um século antes do mesmo acontecer. Compartilhavam dos ideais de Igualdade, liberdade e fraternidade colocados em circulação na Europa do século XVIII, graças à Revolução Francesa.  Conviviam com a cruel escravidão e um país em precárias e insalubres condições de vida para o povo. Era um momento de caos social! Altos impostos cobrados pela coroa portuguesa faziam com que pequenos comerciantes se manifestassem contra o sistema econômico, além de intelectuais inconformados com a desigualdade e soldados indignados com os baixos salários. Tudo isto fez com que surgisse, num primeiro momento, uma articulação entre os jovens negros conscientes.  Na linha de frente destacavam-se o alfaiate João de Deus do Nascimento, os soldados Luiz Gonzaga das Virgens e Manoel Faustino dos Santos e o jovem Lucas Dantas, que tinham em comum a consciência racial; conviviam e combatiam a discriminação da qual eram vítimas, sabiam ler e escrever, eram revolucionários!

Manhã de Agosto de 1.798! O povo "Bahiense" viu suas ruas serem tomadas pelos revolucionários Luiz Gonzaga das Virgens e Lucas Dantas, que iniciam uma panfletagem como forma de obter mais apoio popular e incitá-los à rebelião. A cidade amanheceu com um manifesto que dizia palavras de liberdade, igualdade e justiça, o que as autoridades coloniais chamavam de "abomináveis princípios franceses".
Quando soube de tais panfletos, o governador da capitania da Bahia, D. Fernando José de Portugal e Castro, ordenou que arrancassem e investigassem quem estava escrevendo tais "desaforos".

Após a delação feita por pessoas infiltradas no movimento, os líderes da revolução foram presos um a um. Durante essa fase, centenas de pessoas foram denunciadas: militares, religiosos, funcionários públicos e pessoas de todas as classes sociais. No inquérito aberto pelo governo, apareciam nomes importantes e influentes da Bahia. Nesta hora, todos tentaram se livrar acusando uns aos outros dizendo que nada tinham haver aquela revolta. Apenas quatro líderes, em atitudes heroicas mantiveram-se firmes em suas declarações: não negaram, e sim, confessaram a participação; tiveram a bravura de mártires!

No final, diferentemente dos representantes das classes ricas que conseguiram escapar da punição, nossos quatro heróis foram condenados à morte por enforcamento.
Nesse mesmo ideal de luta e Igualdade, a Nenê de Vila Matilde, alça voos e põe às claras essa história tão pouco conhecida pelos brasileiros. E hoje, depois de dois séculos, João de Deus do Nascimento, Lucas Dantas, Luiz Gonzaga das Virgens e Manoel Faustino dos Santos, têm seus nomes incluídos no livro dos heróis brasileiros, no Panteão da Pátria em Brasília: "O Livro de Aço"!

2º SETOR: UM POVO QUE SEMPRE LUTOU PELA IGUALDADE!
A igualdade sempre foi um ameaça aos poderosos, que contavam com a escravidão e a repressão para manter seus privilégios.  Por outro lado, essa repressão alimentou o desejo de justiça por parte do povo. Ao longo na nossa história, surgiram relatos de verdadeiros núcleos de resistência ao regime opressor, em que as pessoas poderiam viver tranquilamente numa sociedade justa, como os quilombos, símbolo da resistência negra ao cruel regime escravocrata.

Outro núcleo duramente perseguido pelos poderosos foi a comunidade criada pelo beato Antônio Conselheiro, chamada Canudos, que simbolizou a luta e a resistência das populações marginalizadas do sertão nordestino no final do século XIX. Embora derrotados, mostraram que não aceitavam a situação de injustiça social que reinava na região.

No Pará, a revolta popular contra a desigualdade social fez surgir a Cabanagem, considerado um dos principais movimentos rebeldes do Brasil e ainda nos dias de hoje, pesquisado por seu caráter único, já que foi considerada por historiadores, a primeira revolta em que as camadas populares chegaram, efetivamente, ao poder.

As ações sociais e ideológicas também podem ser fatores importantes para o combate a desigualdade. Um importante exemplo disso foi a contribuição do Olodum para a reconstrução do então destruído bairro baiano do Pelourinho.

Quando o Olodum foi fundado, em 1979, o Pelourinho era reduto de marginalidade e prostituição, e as únicas metas do bloco eram chamar a atenção para a degradação do centro histórico de Salvador e divulgar a música, a dança e os costumes africanos. Três décadas e muitos trabalhos de inclusão social depois, o Olodum ajudou o mundo a abrir os olhos para o Pelourinho. Boa parte dos seus casarões foram restaurados e revitalizados. O centro histórico recebeu da UNESCO o título de patrimônio cultural da humanidade e, desde então, é a atração mais visitada pelos turistas que chegam à capital baiana. Uma prova que nem sempre é preciso pegar em armas para lutar pela igualdade social; basta apenas dedicação e identidade!

3º SETOR: A LUTA CONTINUA!
Nos nossos dias, podemos perceber que os mesmos ideais que motivavam os quatro heróis da Revolta dos Búzios continuam vivos e atuais. Com o passar do tempo, ganharam novos temas e cenários; porém, a luta pela igualdade não deixou de ser o principal desejo de todos.

O combate à injustiça social e ao grande abismo que ainda separam os ricos dos pobres mobilizam pessoas e entidades pelos quatro cantos do país, que defendem uma melhor distribuição de renda.  Hoje, a luta pela reforma agrária e o direito a moradia nas grandes cidades são temas que não podem ser esquecidos por um país que deseja figurar entre as nações mais desenvolvidas do mundo.

Sindicatos fortes e atuantes defendem a bandeira por melhores salários e condições de trabalho, que são essenciais para a diminuição das diferenças sociais, assim como o acesso a educação, que é, sem dúvida, a principal ferramenta para a construção do Brasil que tanto sonhamos.  Somente com medidas como o combate ao analfabetismo, universidade para todos e as cotas raciais, poderemos ter num futuro próximo, uma geração de brasileiros que desfrutará dos benefícios de viver num lugar com igualdade de condições.

Desejamos um país justo, em que a cor da pele não seja fator determinante para conquista de privilégios; em que negros, brancos e índios sejam tratados da mesma maneira; que as injustiças históricas deem lugar a um novo tempo...O tempo da igualdade!

4º SETOR: IGUALDADES INDIVIDUAIS
Nos últimos anos, a mulher tem conquistado cada vez mais espaço na nossa sociedade, fruto da sua luta árdua pela igualdade de direitos com os homens. Foi-se o tempo da submissão! A mulher moderna, embora ainda sofra injustiças, pouco a pouco vem ocupando um espaço que tempos atrás não era imaginado, seja no trabalho, na escola e até na política.

Há de chegar o dia em que as pessoas não serão julgadas e perseguidas por causa da sua orientação sexual, em que tanto faz ser hétero ou homossexual para a conquista de direitos civis básicos de igualdade perante a sociedade.

A luta pela igualdade muitas vezes dura a vida inteira. Isso é fácil constatar quando uma pessoa chega a uma idade avançada e nota que as portas do mercado de trabalho ignoram sua experiência e se fecham para ela, como se a velhice fosse um atestado de incapacidade. Julgamento semelhante recebem os portadores de necessidades especiais, ao terem que provar, dia após dia, que são aptos a realizarem as mesmas tarefas de qualquer outra pessoa e que o fato de não enxergarem ou estarem numa cadeira de rodas não os tornam diferentes de ninguém.

Um verdadeiro templo sagrado de Igualdade é a Escola de Samba, lugar de gente bamba, onde pessoas de diferentes raças e classes sociais convivem na mais perfeita harmonia.

A Nenê de Vila Matilde orgulha-se por compartilhar e celebrar os ideais de Igualdade, pois pertence a um mundo que sempre recebeu sem discriminação ou preconceitos. Não podemos ser apenas navegantes da vida, imaginando o último porto, e sim vivenciando todos os dias a Igualdade. Ninguém é de ninguém, mas podemos ter os mesmos objetivos,  fazendo valer a pena a importância do nosso pavilhão, pois a eternidade é a avesso do tempo, em que as pessoas não morrem, ficam encantadas...

E assim, no cenário da maior festa popular do mundo, no ritmo contagiante de nossa bateria, o manto azul e branco exalta este canto...

"O Canto da Igualdade".

Letra Samba Enredo

Compositores: Cláudio Russo, J. Veloso, Marquinhos, Ney do Cavaco, Medina
Intérprete: Luizinho Andanças

Quando a igualdade não havia
A Revolta foi a via
Contra a força da opressão
Uma voz se ergueu outras mais então
Movimento que surgia...
Salve o povo da Bahia!
Sei que a rebeldia que trago no peito
Tenho direito de eternizar
O canto libertário que se espalha pelo ar
Lutar, acreditar, sonhar... ser mais Brasil
Criar a pátria amada mãe gentil

Há nos Búzios a mensagem de cada irmão
No Quilombo novos ares libertação
Em Canudos Conselheiro, e a sua fé
Cabanagem no Pará, na Nenê samba no pé

Vai o baticum do Olodum no pelourinho
Um só coração, um só caminho
Canto à igualdade, levo à união
Venço toda a discriminação
Sonhei que a terra é do agricultor
Cidadão encontrou o abrigo do lar
Eu vi a força unificando a luta sindical
Mulheres defendendo um ideal
De volta ao seu lugar a Zona Leste incendeia
O Anhembi vai levantar
A minha Vila tem sangue na veia

Chegou, chegou no templo do samba
O gueto da gente, a mais querida
No coração Matildense
Nenê é minha Águia, minha vida...

Assista vídeo:

Tia Ciata - "A Mãe do Samba"

"TIA CIATA", MÃE DO SAMBA...

" O samba é o mais belo documento da vida e da alma do povo brasileiro". (Rosane Volpatto-extraído do Texto SAMBA, SABOR DO BRASIL) Um grande abraço ao nosso patrono PAULINHO DA VIOLA. (Veja mais na página História do Samba)
-------x-------

Pelo Fim da Ordem dos Músicos do Brasil !

Abaixo-Assinado Eletrônico pelo direito ao livre exercício da profissão de músico:

Participe você também, leia matérias neste blog.

Para assinar eletrônicamente:

http://www.carlosgiannazi.com.br/fale_conosco/abaixo-assinado-omb.htm

Paulinho da Viola- Entrevistado pelo programa Memória do Rádio

PAULINHO DA VIOLA - O Nosso Patrono

O Verso "Quando penso no futuro não esqueço meu passado" é creditado por Paulinho da Viola, em "Meu tempo é hoje", como sintese de sua obra, de sua vida. Recolhido de sua "Dança da Solidão"(72). (Pedro Alexandre Sanches - Folh aOn Line - 11/04/2003)

"Eu não costumo brigar com o tempo" afirma Paulinho da Viola (em 09/12/2004 - Folha On line)

"A música de Paulinho da Viola representa um universo particular dentro da cultura brasileira. Experimentá-la é reconhecer que a identidade cultural brasileira não é única, há sempre algo mais." (extraído do site de Paulinho da Viola)

A Obra de Paulinho da Viola já foi tema de livros, trabalhos acadêmicos, gravações e documentário. Em fase de finalizações, se encontra um Documentário realizado pela VideoFilmes com direção de Isabel Jaguaribe e roteiro de Zuenir Ventura. (Confira mais na página - PAULINHO DA VIOLA - Vídeos e muito mais)

-------x-------

AGENDA CULTURAL DA PERIFERIA

A Ação Educativa é uma organização não governamental sem fins lucrativos que desenvolve a apóia projetos voltados para a educação e juventude, por meio de pesquisas, formação, assessoria e produção de informações. Mantém em sua sede o espaço de Cultura e Mobilização Social, aberto ao público, que promove regularmente atividades de formação, intercâmbio e difusão cultural. Vale a pena acessar : http://www.acaoeducativa.org.br/

Confira As Comunidades de SAMBA divulgadas.
-------x-------

Samba do Sino comemora primeiro ano na noite de 15/12/2009 com história do samba

O Movimento Cultural Samba do Sino comemerou 01 ano de vida no último dia 15/12/2009, e presenteia os moradores da cidade com histórias que contam a evolução do samba no Brasil. A proposta nasceu com a idéia de resgatar esse pedaço da cultura popular. (Vanessa Coelho - Guarulhos Web 15/12/2009)