Samba do Sino

A Roda surge da necessidade em manter acesa a chama da Cultura Popular Brasileira, trazendo a tona histórias que são cantadas através de sambas tradicionais de todo o território nacional, da velha guarda aos novos compositores, pois o Samba Presente Não Esquece o Passado, deixando prevalecer o sotaque do samba paulista, do rural ao urbano. O Sino surge devido à dificuldade em encerrar o Samba às 22h, pois é realizado em bairro residencial. Surge a idéia de se utilizar um sino para indicar o final do samba. Ai começaram a dizer: –“Vamos naquele samba, aquele que o cara toca o Sino...” Assim acaba-se adotando o nome Samba do Sino. Houve a aceitação e respeito geral e assim se conveniou tocar o Sino para começar e para terminar o Samba.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

RUA DO SAMBA GUARULHOS
ASC SP, Sambistas e Comunidades de Samba

Foi neste último domingo de outubro de 2011 que se realizou a Rua do Samba de Guarulhos. O evento aconteceu na Praça Oito de Dezembro – Taboão, e contou com estrutura organizada pela LIESG que tem como presidente Adelci Teixeira – Adê, presente durante todo o evento, e apoio da Secretaria de Cultura de Guarulhos. A recepção da comunidade do bairro do Taboão foi muito boa, com muitos expectadores, amantes do samba.


Estiveram presentes Comunidades do Samba de Guarulhos e São Paulo. Na roda de Samba estiveram a Comunidade União Samba Clube do Cohab Artur Alvim e Samba da Alegria – Brás, Panela do Samba de Sorocaba, Canto Pra Velha Guarda (Guarulhos), Terreiro de Compositores – PQ S Lucas, Candeeiro do Samba – Diadema, os Sambistas Brao Lopes, Dentinho, Emerson Urso, Helio Rubi, Marquinhos Jaca, TKaçula, Zanza Simião e o grande representante da velha guarda do Samba Paulista Valdir Cachoeira, hoje morador e sambista de nossa cidade. Estiveram no evento representantes do Samba do Sino, Samba da Arca e Samba da Canja, todos de Guarulhos.

O evento ficou por conta do competente sambista Brao Lopes que se desdobrou para que a roda de samba pudesse ser realizado, contou com o apoio da LIESG na pessoa do seu presidente Adê e da Secretaria de Cultura de Guarulhos.

Foi uma verdadeira festa para a cidade de Guarulhos. Ouvimos sambas memoráveis nesta roda. O que não faltou também foram os sambas inéditos. Sambas de Balilo, Emerson Urso, Marquinhos Jaca, TKaçula e outros caíram nos gosto dos presentes, que cantavam animadamente seus refrões. Um dos pontos altos foi o momento em que o sambista Valdir Cachoeira foi convidado por TKaçula e participar da roda, a emoção foi muito grande para o sambista e para todos que ali estavam.

Brao Lopes alem de compositor e sambista, também é diretor da ASCSP – Associação Dos Sambistas e Comunidades de Samba do Estado de São Paulo, que é presidida por TKaçula.

Mas o que é, na realidade, Comunidade de Samba. Há mais de 20 anos surgem em São Paulo pessoas interessadas em pesquisar os compositores, interpretes, os sambas, a história desta modalidade musical tipicamente brasileira. Tendo consciência das necessidades sociais e culturais das regiões inseridas também passaram a desenvolver trabalhos sociais. A seriedade dos trabalhos desenvolvidos, efetuados com muito carinho, dedicação e trabalho árduo resultaram em rodas de samba que trazem o Samba Raiz ao dia a dia. É comum ouvir musicas de Pixinguinha, Cartola, Vadico, Geraldo Filme, Nelson Cavaquinho, Pé Rachado, Adoniram Barbosa, Ismael Silva, Lupicinio Rodrigues, Paulinho da Viola, e muitos outros monstros da nossa música popular, nestas verdadeiras rodas de samba. E nesta esfera o público é da mais variada faixa etária, inclusive é comum presenciar jovens que passaram a ouvir e cantar sambas de 50, 60, 70 anos ou mais.

Esses encontros também ocupam o papel de veículos para que novos compositores possam cantar os seus sambas ainda inéditos, como é o caso do Movimento Cultural Projeto Nosso Samba de Osasco, e também o Samba da Vela, entre muitos outros que pipocam por toda a cidade de São Paulo, e já contagia cidades de todo o estado, como exemplo o Panela do Samba de Sorocaba. Muitas Comunidades ganharam destaques nacionais e internacionais, como O Berço do Samba de São Matheus, o Samba da Laje, Pagode do Cafofo, Samba da Vela, etc. em pesquisa realizada pela ASC SP, as comunidades trazem um público de 40 mil pessoas/mês.

Outro fator importante passa a ser a inclusão na internet. Sem apoio de rádios e meios de comunicação, as comunidades e sambistas passam a veicular seus trabalhos na internet, através de sites, blogs, youtube, etc. A possibilidade de exposição é ainda maior, pois começam a acontecer às rádios na web, como podemos citar a Rádio Samba SP - http://radiosambasp.com.br/  que executa sambas que via de regra são descriminados nas rádios convencionais ( A R´dio Samba já atingiu a marca de mais de quatro milhões de ouvintes em outubro/11). Alguns destes sambistas, inclusive, tem disponibilizado seus trabalhos na internet para serem baixados gratuitamente.

Ocorre que é comum nos eventos as comunidades cantarem sambas inéditos que não constam de programações nas rádios convencionais, provando o trabalho importante deste movimento cultural. Comum também passou a ser as visualizações via youtube, algumas chegam a ter mais de 25 mil acessos. Outro aspecto é o baixo custo para divulgação através das redes sociais. Os flys publicitários das mais variadas criações, são divulgados gratuitamente através das próprias comunidades via internet.

Toda esta riqueza cultural mantém entre si um laço fraternal, ligados umbilicalmente pelo samba e tudo aquilo que ele representa na formação de nossa identidade cultural. Mas o poder público entende como samba apenas o mês de fevereiro ou o Carnaval, grande celeiro do samba brasileiro. No entanto, as comunidades de samba se reúnem pelo menos uma vez por mês, algumas semanalmente, no entanto quando não estão em suas comunidades, visitam comunidades vizinhas, participando de eventos ou apenas visitando-as. Essa facilidade de trocas culturais é outro fator importante para o sucesso destes eventos, revitazilizando e oxigenando as comunidades.

Ao encontro dessa constatação, ficou latente a necessidade das comunidades se organizarem através de uma entidade de caráter jurídico e que pudesse representar os anseios destes sambistas e de suas comunidades. È fundada então a Associação dos Sambistas e Comunidades de Samba de São Paulo cujo papel principal é divulgar e enumerar estas necessidades, transformando-as em projetos sócios culturais, no sentido de reivindicar não somente os equipamentos necessários, mas também recursos destinados no âmbito federal para estes fins, e que sejam repassadas através de ações estaduais ou municipais, sem interferir de maneira alguma nos projetos que vem sendo desenvolvidos pelas comunidades de samba e sambistas.


Tia Ciata - "A Mãe do Samba"

"TIA CIATA", MÃE DO SAMBA...

" O samba é o mais belo documento da vida e da alma do povo brasileiro". (Rosane Volpatto-extraído do Texto SAMBA, SABOR DO BRASIL) Um grande abraço ao nosso patrono PAULINHO DA VIOLA. (Veja mais na página História do Samba)
-------x-------

Pelo Fim da Ordem dos Músicos do Brasil !

Abaixo-Assinado Eletrônico pelo direito ao livre exercício da profissão de músico:

Participe você também, leia matérias neste blog.

Para assinar eletrônicamente:

http://www.carlosgiannazi.com.br/fale_conosco/abaixo-assinado-omb.htm

Paulinho da Viola- Entrevistado pelo programa Memória do Rádio

PAULINHO DA VIOLA - O Nosso Patrono

O Verso "Quando penso no futuro não esqueço meu passado" é creditado por Paulinho da Viola, em "Meu tempo é hoje", como sintese de sua obra, de sua vida. Recolhido de sua "Dança da Solidão"(72). (Pedro Alexandre Sanches - Folh aOn Line - 11/04/2003)

"Eu não costumo brigar com o tempo" afirma Paulinho da Viola (em 09/12/2004 - Folha On line)

"A música de Paulinho da Viola representa um universo particular dentro da cultura brasileira. Experimentá-la é reconhecer que a identidade cultural brasileira não é única, há sempre algo mais." (extraído do site de Paulinho da Viola)

A Obra de Paulinho da Viola já foi tema de livros, trabalhos acadêmicos, gravações e documentário. Em fase de finalizações, se encontra um Documentário realizado pela VideoFilmes com direção de Isabel Jaguaribe e roteiro de Zuenir Ventura. (Confira mais na página - PAULINHO DA VIOLA - Vídeos e muito mais)

-------x-------

AGENDA CULTURAL DA PERIFERIA

A Ação Educativa é uma organização não governamental sem fins lucrativos que desenvolve a apóia projetos voltados para a educação e juventude, por meio de pesquisas, formação, assessoria e produção de informações. Mantém em sua sede o espaço de Cultura e Mobilização Social, aberto ao público, que promove regularmente atividades de formação, intercâmbio e difusão cultural. Vale a pena acessar : http://www.acaoeducativa.org.br/

Confira As Comunidades de SAMBA divulgadas.
-------x-------

Samba do Sino comemora primeiro ano na noite de 15/12/2009 com história do samba

O Movimento Cultural Samba do Sino comemerou 01 ano de vida no último dia 15/12/2009, e presenteia os moradores da cidade com histórias que contam a evolução do samba no Brasil. A proposta nasceu com a idéia de resgatar esse pedaço da cultura popular. (Vanessa Coelho - Guarulhos Web 15/12/2009)