Samba do Sino

A Roda surge da necessidade em manter acesa a chama da Cultura Popular Brasileira, trazendo a tona histórias que são cantadas através de sambas tradicionais de todo o território nacional, da velha guarda aos novos compositores, pois o Samba Presente Não Esquece o Passado, deixando prevalecer o sotaque do samba paulista, do rural ao urbano. O Sino surge devido à dificuldade em encerrar o Samba às 22h, pois é realizado em bairro residencial. Surge a idéia de se utilizar um sino para indicar o final do samba. Ai começaram a dizer: –“Vamos naquele samba, aquele que o cara toca o Sino...” Assim acaba-se adotando o nome Samba do Sino. Houve a aceitação e respeito geral e assim se conveniou tocar o Sino para começar e para terminar o Samba.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Morre Toniquinho Batuqueiro, o sotaque caipira do samba de SP


Aos 81 anos, Antonio Messias de Campos morreu vítima de um AVC em Osasco.

24/11/2011 - 20:28
EPTV.com - Leandro Filippi

Morreu nesta quarta-feira (23) vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) Antonio Messias de Campos, o Toniquinho Batuqueiro. Natural de Piracicaba, Batuqueiro foi enterrado nesta quinta-feira às 10h30 no Cemitério Santo Antônio, em Osasco. Ele estava com 81 anos e deixa cinco filhos e cinco netos. A morte foi confirmada pelo produtor musical Renato Dias, que trabalhou com o sambista no disco "Memória do Samba Paulista de Toniquinho Batuqueiro", de 2009.

Batuqueiro é um dos protagonistas da evolução da história do samba de São Paulo contribuiu para a formação de diversas escolas. Pelo menos três sambas enredos de sua autoria foram para a avenida no Grupo Especial do Carnaval paulistano. Dois pela Vila Maria e um pela Rosas de Ouro. O primeiro em 1972 pela Rosas, "Brasil de ontem, Brasil de hoje”. Ele passou pela Vila Maria, Império do Cambuci, Rosas de Ouro e Unidos do Peruche, agremiação que participou da fundação.

Gravações
Sua primeira gravação foi ao lado do amigo Plínio Marcos, no disco "Plínio Marcos em prosa e samba, nas quebradas do mundaréu", lançada em 1974. “Ele representa o sotaque caipira do samba. É a encarnação do samba paulista”, diz Dias, que convivia com Batuqueiro há oito anos e destaca seu trabalho pela originalidade de “não imitar o jeito carioca de cantar”. Batuqueiro compôs mais de 60 sambas.

Homenagem
No Carnaval de 2012, o Cordão Grêmio Recreativo de Resistência Cultural Kolombolo irá homenagear Batuqueiro em um desfile nas ruas da Vila Madalena, em São Paulo. Segundo Dias, fundador da agremiação, o tema "Toniquinho Batuqueiro - O Sotaque da Bantologia Caipira no primeiro decanato do galo rubro-negro” já seria levado às ruas antes da morte do sambista. “É uma pena não fazer um desfile com a presença dele, mas terá uma emoção a mais”, comenta.

Em 2010 a Filó Comunicação Educação e Arte em uma parceria com o historiador Pablo Delvage Carajol e com apoio do SESC Piracicaba e do Centro de Documentação, Cultura e Política Negra de Piracicaba gravou um mini documentário em que Batuqueiro fala da sua relação com a cidade.

Há dez anos Batuqueiro estava com glaucoma. Sua esposa faleceu em fevereiro de 2011, também vítima de um AVC.


Tia Ciata - "A Mãe do Samba"

"TIA CIATA", MÃE DO SAMBA...

" O samba é o mais belo documento da vida e da alma do povo brasileiro". (Rosane Volpatto-extraído do Texto SAMBA, SABOR DO BRASIL) Um grande abraço ao nosso patrono PAULINHO DA VIOLA. (Veja mais na página História do Samba)
-------x-------

Pelo Fim da Ordem dos Músicos do Brasil !

Abaixo-Assinado Eletrônico pelo direito ao livre exercício da profissão de músico:

Participe você também, leia matérias neste blog.

Para assinar eletrônicamente:

http://www.carlosgiannazi.com.br/fale_conosco/abaixo-assinado-omb.htm

Paulinho da Viola- Entrevistado pelo programa Memória do Rádio

PAULINHO DA VIOLA - O Nosso Patrono

O Verso "Quando penso no futuro não esqueço meu passado" é creditado por Paulinho da Viola, em "Meu tempo é hoje", como sintese de sua obra, de sua vida. Recolhido de sua "Dança da Solidão"(72). (Pedro Alexandre Sanches - Folh aOn Line - 11/04/2003)

"Eu não costumo brigar com o tempo" afirma Paulinho da Viola (em 09/12/2004 - Folha On line)

"A música de Paulinho da Viola representa um universo particular dentro da cultura brasileira. Experimentá-la é reconhecer que a identidade cultural brasileira não é única, há sempre algo mais." (extraído do site de Paulinho da Viola)

A Obra de Paulinho da Viola já foi tema de livros, trabalhos acadêmicos, gravações e documentário. Em fase de finalizações, se encontra um Documentário realizado pela VideoFilmes com direção de Isabel Jaguaribe e roteiro de Zuenir Ventura. (Confira mais na página - PAULINHO DA VIOLA - Vídeos e muito mais)

-------x-------

AGENDA CULTURAL DA PERIFERIA

A Ação Educativa é uma organização não governamental sem fins lucrativos que desenvolve a apóia projetos voltados para a educação e juventude, por meio de pesquisas, formação, assessoria e produção de informações. Mantém em sua sede o espaço de Cultura e Mobilização Social, aberto ao público, que promove regularmente atividades de formação, intercâmbio e difusão cultural. Vale a pena acessar : http://www.acaoeducativa.org.br/

Confira As Comunidades de SAMBA divulgadas.
-------x-------

Samba do Sino comemora primeiro ano na noite de 15/12/2009 com história do samba

O Movimento Cultural Samba do Sino comemerou 01 ano de vida no último dia 15/12/2009, e presenteia os moradores da cidade com histórias que contam a evolução do samba no Brasil. A proposta nasceu com a idéia de resgatar esse pedaço da cultura popular. (Vanessa Coelho - Guarulhos Web 15/12/2009)