Samba do Sino

A Roda surge da necessidade em manter acesa a chama da Cultura Popular Brasileira, trazendo a tona histórias que são cantadas através de sambas tradicionais de todo o território nacional, da velha guarda aos novos compositores, pois o Samba Presente Não Esquece o Passado, deixando prevalecer o sotaque do samba paulista, do rural ao urbano. O Sino surge devido à dificuldade em encerrar o Samba às 22h, pois é realizado em bairro residencial. Surge a idéia de se utilizar um sino para indicar o final do samba. Ai começaram a dizer: –“Vamos naquele samba, aquele que o cara toca o Sino...” Assim acaba-se adotando o nome Samba do Sino. Houve a aceitação e respeito geral e assim se conveniou tocar o Sino para começar e para terminar o Samba.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Carnaval 2013 SP BLOCO "PEGA O LENÇO E VAI"


Ensaio Geral Domingo 19/02/2013

O que:- ENSAIO GERAL.
Quem:- BLOCO DE SAMBA “PEGA O LENÇO E VAI” 2013
Quando:- 19/01/2013
Horário: 15h
Onde: CCDL - Centro Cultural Dona Leonor
End:- Rua San Juan, 121 Parque das Américas - Estação CPTM Guapituba. Uns 5 minutos a pé da estação Guapituba.

TEMA: LUIZ GAMA
CARTA ABERTA
O Bloco de Samba Pega o Lenço e Vai foi criado por um grupo de trabalhadores. O bloco se reúne há três anos para levar as ruas do Parque das Américas (Mauá – SP), um momento lúdico e de protesto. O grande objetivo é trazer à tona personalidades negras do Brasil, garantindo a lei 10.639/2003 que exige que as escolas públicas (Municipais e Estaduais) e particulares introduzam a historia do negro, negligenciada até então do currículo escolar nacional. Porém, observamos que não há um esforço para o cumprimento desta lei, uma vez que a formação no ensino superior, também nega as lutas e as contribuições do negro para o desenvolvimento do Brasil, ao longo dos seus 512 anos. Assim, este ano apresentamos em nosso tema uma das figuras mais relevante da historia do Brasil: Luiz Gonzaga Pinto da Gama, ou simplesmente, LUIZ GAMA. Nascido em 21 de junho de 1830, na cidade de São Salvador, capital da Bahia, Luiz Gama era filho de Luiza Mahin, africana livre, oriunda da Costa da Mina (Nagô de nação). Luíza, descrita por Luiz Gama era uma mulher rebelde e insubmissa, que não aceitava a escravidão, e juntamente com um grupo de africanos de diversas nações participou na Revolta dos Malês (25 de janeiro de 1835, São Salvador – Bahia). Seu pai, um fidalgo português o vendeu aos 10 anos de idade para o mercado de escravos de forma ilegal, como pagamento de uma dívida de jogo. O menino Luiz Gama passa pelo Rio de Janeiro, e desembarca no porto de Santos. Ele é trazido para Campinas a pé, porém ninguém o quer como escravo, por ele ser baiano. (Naquele momento, escravos oriundos da Bahia eram tidos como escravos insubmissos, causando problemas aos seus donos.). Desta forma, ele continua com o seu “dono”. Aos 17 anos, aprende a ler, escrever e a contar alguma coisa, com a ajuda de um Alferes que havia se instalado na fazenda que o pequeno Luiz se encontrava. Buscando compreensão de sua história, descobre que fora vendido de forma ilegal, em 1848 e foge da fazenda. No mesmo ano, senta Praça na Força Pública da Província de São Paulo, onde trabalha até 1854, e então recebe baixa por insubordinação, pois ameaçou um oficial que o havia insultado, ficando preso por 39 dias. Na busca por aprimoramento intelectual, Luiz Gama consegue um novo emprego no serviço público como escrivão e perante diversas autoridades policiais foi nomeado amanuense (Escrevente de documentos Oficiais) da Secretaria de Polícia, onde serviu até os seus 38 anos, sendo demitido em 1869 devido sua defesa pública a um africano de nome Jacinto, de Minas Gerais, aportado no Brasil após 1831, ano em que foi aprovada uma lei que proibia o tráfico de africanos em terras tupiniquins. Luiz Gama lança em 1859 um livro de poemas no qual utiliza toda sua destreza e inteligência em suas “Primeiras Trovas Burlescas de Getulino” (De 1859 - 1ª Edição e de 1861 - 2ª Edição – Sob pseudônimo Getulino). Apesar de sofrer um abalo econômico, por estar sem emprego, empreende a carreira de jornalista, para assim, continuar em sua luta abolicionista. Iniciou como tipógrafo no jornal O Ipiranga e já em 1869, passou a fazer parte da redação do jornal Radical Paulistano em um ambiente com grandes personagens como Castro Alves, Joaquim Nabuco e Rui Barbosa. A partir de 1868, Luiz Gama iniciou um dos seus feitos memoráveis, no trabalho como rábula (Advogado sem diploma – atividade permitida na época), no qual, o exercia em defesa de escravos nos tribunais do Império, pelas suas alforrias. Tem-se noticia de que conseguiu alforriar cerca de 500 negros escravizados. Em uma de suas defesas, ele pronuncia a seguinte frase: O escravo que mata seu senhor, seja em quais circunstâncias for, mata sempre em legitima defesa! Estendendo suas ações em prol de uma sociedade livre, acompanhado de personalidades como Dr. Américo Brasiliense e José Luiz Flacquer entre outros, inicia a tentativa de fundação do Partido Republicano. Porém, após o Primeiro Congresso Republicano, em São Paulo Luiz Gama, descontente com o posicionamento do partido em não discutir a abolição da escravidão sem concessão de indenização aos donos de escravos, passa a fazer críticas aos Republicanos. Ressaltamos ainda a sua luta através da Imprensa, no qual foi um dos idealizadores, criadores e colaboradores dos jornais humorísticos “O Diabo Coxo” (De 1864 – 1865 - Sob pseudônimo Getulino), o “Cabrião” (De 1866 – 1867 - Sob pseudônimo Barrabás), “Radical Paulistano” (De 1869), “O Coaracy” (De 1876), “O Polichinelo” (De 1876). Em 24 de agosto de 1882, morre vitima de Diabetes, em São Paulo. Por isto, este ano de 2013, o Bloco de Samba “Pega o Lenço e Vai”, traz a memória deste que foi uma das figuras mais atuantes no cenário político do Brasil Imperial, combatendo a escravidão de todas as formas. Sendo ele negro e ex- escravo, transformou a historia do Brasil, abalando com a estrutura do sistema escravista. Eis aqui, Luiz Gonzaga Pinto da Gama, ou simplesmente:

LUIZ GAMA. (1830 – 1882)

“O livro é o mais útil e sincero amigo do homem bom.”
O Polichinelo, de 27 de agosto de 1876.

Tia Ciata - "A Mãe do Samba"

"TIA CIATA", MÃE DO SAMBA...

" O samba é o mais belo documento da vida e da alma do povo brasileiro". (Rosane Volpatto-extraído do Texto SAMBA, SABOR DO BRASIL) Um grande abraço ao nosso patrono PAULINHO DA VIOLA. (Veja mais na página História do Samba)
-------x-------

Pelo Fim da Ordem dos Músicos do Brasil !

Abaixo-Assinado Eletrônico pelo direito ao livre exercício da profissão de músico:

Participe você também, leia matérias neste blog.

Para assinar eletrônicamente:

http://www.carlosgiannazi.com.br/fale_conosco/abaixo-assinado-omb.htm

Paulinho da Viola- Entrevistado pelo programa Memória do Rádio

PAULINHO DA VIOLA - O Nosso Patrono

O Verso "Quando penso no futuro não esqueço meu passado" é creditado por Paulinho da Viola, em "Meu tempo é hoje", como sintese de sua obra, de sua vida. Recolhido de sua "Dança da Solidão"(72). (Pedro Alexandre Sanches - Folh aOn Line - 11/04/2003)

"Eu não costumo brigar com o tempo" afirma Paulinho da Viola (em 09/12/2004 - Folha On line)

"A música de Paulinho da Viola representa um universo particular dentro da cultura brasileira. Experimentá-la é reconhecer que a identidade cultural brasileira não é única, há sempre algo mais." (extraído do site de Paulinho da Viola)

A Obra de Paulinho da Viola já foi tema de livros, trabalhos acadêmicos, gravações e documentário. Em fase de finalizações, se encontra um Documentário realizado pela VideoFilmes com direção de Isabel Jaguaribe e roteiro de Zuenir Ventura. (Confira mais na página - PAULINHO DA VIOLA - Vídeos e muito mais)

-------x-------

AGENDA CULTURAL DA PERIFERIA

A Ação Educativa é uma organização não governamental sem fins lucrativos que desenvolve a apóia projetos voltados para a educação e juventude, por meio de pesquisas, formação, assessoria e produção de informações. Mantém em sua sede o espaço de Cultura e Mobilização Social, aberto ao público, que promove regularmente atividades de formação, intercâmbio e difusão cultural. Vale a pena acessar : http://www.acaoeducativa.org.br/

Confira As Comunidades de SAMBA divulgadas.
-------x-------

Samba do Sino comemora primeiro ano na noite de 15/12/2009 com história do samba

O Movimento Cultural Samba do Sino comemerou 01 ano de vida no último dia 15/12/2009, e presenteia os moradores da cidade com histórias que contam a evolução do samba no Brasil. A proposta nasceu com a idéia de resgatar esse pedaço da cultura popular. (Vanessa Coelho - Guarulhos Web 15/12/2009)