Samba do Sino

A Roda surge da necessidade em manter acesa a chama da Cultura Popular Brasileira, trazendo a tona histórias que são cantadas através de sambas tradicionais de todo o território nacional, da velha guarda aos novos compositores, pois o Samba Presente Não Esquece o Passado, deixando prevalecer o sotaque do samba paulista, do rural ao urbano. O Sino surge devido à dificuldade em encerrar o Samba às 22h, pois é realizado em bairro residencial. Surge a idéia de se utilizar um sino para indicar o final do samba. Ai começaram a dizer: –“Vamos naquele samba, aquele que o cara toca o Sino...” Assim acaba-se adotando o nome Samba do Sino. Houve a aceitação e respeito geral e assim se conveniou tocar o Sino para começar e para terminar o Samba.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Samba do Sino encena Pirapora em seu espetáculo.



O Samba do Sino em sua apresentação , que teve como convidada Wal Serra, do dia 11-04-2017 no Teatro Flávio Império trouxe um pouco da história da linguagem musical do samba de São Paulo para o palco.

Ainda no saguão principal o público é surpreendido pela presença de Padre Pai João tocando um sino pequeno que anunciava sua chegada ao recinto. Identificou-se como a personificação do Sincretismo Religioso e Cultural. Brevemente relatou o “achado” da imagem de Bom Jesus nas águas do rio Tietê que deu origem a cidade de Bom Jesus de Pirapora, berço do Samba Paulista, ou como preferirem Samba de Bumbo de Pirapora ou Samba Rural Paulista.

Continuando, contou que as romarias para o aniversário da imagem encontrada, desde seu início, eram compostas pelos Senhores e seus escravos. Os negros, proibidos de participar da festa cristã, se concentravam atrás da Igreja para as suas comemorações religiosas ancestrais denominadas pela Casa Grande como Pagãs. Foram criados então os barracões, para que os negros e simpatizantes pudessem realizar sua “festa”, apartados do evento religioso em veneração a Bom Jesus.

Após seus relatos Padre Pai João agradece e indica a entrada para o teatro ao badalar de seu sino.
Acomodados sem seus assentos, o público se surpreende quando no grande telão do palco é projetada imagens da Procissão em veneração a Bom Jesus de Pirapora ao som de cânticos religiosos. Aos poucos vão percebendo que uma procissão (integrantes do Samba do Sino) está entrando pelos corredores do Teatro vestidos com balandraus coloridos, todos com uma vela acesa e capitaneados pelo Padre Pai João e seu sino e fazendo coro com os cânticos que estão sendo executados.
Já no palco e sem os balandraus os integrantes do Sino vão se posicionando em cena, enquanto é interpretada a poesia que relata a história de Bom Jesus e do Samba Rural Paulista ou Samba de Bumbo de Pirapora.

Complementando a abertura do espetáculo os Sineiros interpretam o Samba “Batuque de Pirapora” de Geraldo Filme – esta música consta do primeiro CD do Grupo “Samba do Sino na Garoa”
A seguir muitos sambas são interpretados pelo Samba do Sino e sua convidada Especial Wal Serra.
A Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo apresenta o espetáculo que estará no teatro Flávio Império até junho de 2017. A Entrada é Franca e conta também com estacionamento gratuito. Veja as datas das apresentações que acontecem sempre às 20hs:

25-abril
09 e 23 – maio
13 e 27 – junho

O Teatro fica na Rua Professor Alves Pedroso, 600 – Cangaiba – São Paulo – SP. Aconeslhável chegar com antecedência para retirada de ingressos.


Tia Ciata - "A Mãe do Samba"

"TIA CIATA", MÃE DO SAMBA...

" O samba é o mais belo documento da vida e da alma do povo brasileiro". (Rosane Volpatto-extraído do Texto SAMBA, SABOR DO BRASIL) Um grande abraço ao nosso patrono PAULINHO DA VIOLA. (Veja mais na página História do Samba)
-------x-------

Pelo Fim da Ordem dos Músicos do Brasil !

Abaixo-Assinado Eletrônico pelo direito ao livre exercício da profissão de músico:

Participe você também, leia matérias neste blog.

Para assinar eletrônicamente:

http://www.carlosgiannazi.com.br/fale_conosco/abaixo-assinado-omb.htm

Paulinho da Viola- Entrevistado pelo programa Memória do Rádio

PAULINHO DA VIOLA - O Nosso Patrono

O Verso "Quando penso no futuro não esqueço meu passado" é creditado por Paulinho da Viola, em "Meu tempo é hoje", como sintese de sua obra, de sua vida. Recolhido de sua "Dança da Solidão"(72). (Pedro Alexandre Sanches - Folh aOn Line - 11/04/2003)

"Eu não costumo brigar com o tempo" afirma Paulinho da Viola (em 09/12/2004 - Folha On line)

"A música de Paulinho da Viola representa um universo particular dentro da cultura brasileira. Experimentá-la é reconhecer que a identidade cultural brasileira não é única, há sempre algo mais." (extraído do site de Paulinho da Viola)

A Obra de Paulinho da Viola já foi tema de livros, trabalhos acadêmicos, gravações e documentário. Em fase de finalizações, se encontra um Documentário realizado pela VideoFilmes com direção de Isabel Jaguaribe e roteiro de Zuenir Ventura. (Confira mais na página - PAULINHO DA VIOLA - Vídeos e muito mais)

-------x-------

AGENDA CULTURAL DA PERIFERIA

A Ação Educativa é uma organização não governamental sem fins lucrativos que desenvolve a apóia projetos voltados para a educação e juventude, por meio de pesquisas, formação, assessoria e produção de informações. Mantém em sua sede o espaço de Cultura e Mobilização Social, aberto ao público, que promove regularmente atividades de formação, intercâmbio e difusão cultural. Vale a pena acessar : http://www.acaoeducativa.org.br/

Confira As Comunidades de SAMBA divulgadas.
-------x-------

Samba do Sino comemora primeiro ano na noite de 15/12/2009 com história do samba

O Movimento Cultural Samba do Sino comemerou 01 ano de vida no último dia 15/12/2009, e presenteia os moradores da cidade com histórias que contam a evolução do samba no Brasil. A proposta nasceu com a idéia de resgatar esse pedaço da cultura popular. (Vanessa Coelho - Guarulhos Web 15/12/2009)