Samba do Sino

A Roda surge da necessidade em manter acesa a chama da Cultura Popular Brasileira, trazendo a tona histórias que são cantadas através de sambas tradicionais de todo o território nacional, da velha guarda aos novos compositores, pois o Samba Presente Não Esquece o Passado, deixando prevalecer o sotaque do samba paulista, do rural ao urbano. O Sino surge devido à dificuldade em encerrar o Samba às 22h, pois é realizado em bairro residencial. Surge a idéia de se utilizar um sino para indicar o final do samba. Ai começaram a dizer: –“Vamos naquele samba, aquele que o cara toca o Sino...” Assim acaba-se adotando o nome Samba do Sino. Houve a aceitação e respeito geral e assim se conveniou tocar o Sino para começar e para terminar o Samba.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Marquinhos Jaca


No tradicional gênero samba de partido alto, o intérprete apresenta, em seu show, músicas como "Vovó Maria", de sua autoria, em parceria com Deny Alves, Wagner Almeida e Reinaldinho; "Número 1 do Brasil", de sua autoria e de Reinaldinho; e "Nossa Senhora do Partido Alto", de Deley Antonelli, Maurinho de Jesus e André Saracura.

Marcos Abrahão Gilberto, nome artístico Marquinhos Jaca, vem do adoniranico bairro Jaçana na Zona Norte da cidade de Sao Paulo. Levado pelos seus pais, seu Gentil e dona Ruth, frequentava desde pequeno a escola de samba Vai-Vai, o quilombo banto do Bixiga, mas os samba lhe chega através das ondas de radio e dos discos que a família partilha. Sua primeira influencia foi Bezerra da Silva, Clara Nunes e Partido em cinco. Era natural que a boa estrada do samba lhe acolhesse logo nos primeiros passos. Aos quinze anos, o primeiro cavaco e seu primeiro mestre: Josenário Mascarenhas. Pouco depois, integra o grupo Pé- de- Moleque que acompanhou artistas do samba que surgiram na década de oitenta como Zeca Pagodinho, Almir Guineto, Jovelina Pérola Negra, Dona Ivone Lara, Germano Mathias, entre outros. Sem dúvida foi uma experiência valiosa para o sambista do futuro.

Seguiu-se um período dedicado aos estudos no qual se formou músico profissional. Marquinhos Jaca completa seus estudos no conservatório musical Staccato, onde se formou e começou a dar suas primeiras aulas de teoria musical e prática do cavaquinho. Como formação complementar cursou “harmonia e Improvisação de violão”, “escola moderna do cavaquinho” e “oficina de musica do conjunto de choro Galo Preto” no Centro Experimental de Música do SESC.

Coroando sua formação musical, fez o curso de Teoria Musical, Coral e Técnica Vocal da Ordem dos Músicos do Brasil, conquistando assim o título de músico profissional. A estrada já não tinha volta, e compor já fazia parte da arte de Marquinhos Jaca. Com o ouvido apurado, busca o refinamento. Chegam Padeirinho, Xangô da Mangueira e Aniceto do Império.

Por volta de 1998 o ciclo de amor a escola de samba do coração é coroado com a sua entrada para a ala de compositores do Vai-Vai. Hoje, sambista maduro, Marquinhos Jaca compõe em vários estilos sem abrir mão do compromisso com a qualidade e o respeito aos grandes mestres que aprendeu a cultivar. Nem por isso o seu samba é datado ou preso a padrões criativos. é esta mensagem que procura passar através de suas composições que compartilha em comunidades como o Samba da Laje, Samba Nosso de Cada Dia (Vai-Vai) e Barra Funda Estação do Samba (Camisa verde).

Cultor do bom samba, não aceita rótulos, nem limites ao seu trabalho criativo. Profundamente identificado com os valores da espontaneidade e da livre criatividade, marcas registradas do melhor partido alto, escolheu a nobre arte de versar como matéria prima do seu trabalho. O verso para ele não tem segredos, mas é pura intuição que vem a luz no mágico instante de sua criação. As suas rimas são verdadeiras homenagens a riqueza da nossa língua portuguesa e a composição prima pela arquitetura bem desenhada e que pouco a pouco, passo a passo, rima a rima, bem no ritmo natural do partido alto, vão colorindo o quadro completo de samba.

Eis aí o partido de Marquinhos Jaca. Além de musico, interprete e compositores, Marquinhos Jaca lançou-se na carreira de produtor musical em 2005, com a produção do CD “Tobias da Vai-Vai” do artista de mesmo nome. Em 2007 produz também o CD da cantora Elizeth Rosa “Negro Luz” pela gravadora Atração, e 2009, PARA 2010 Produziu o seu próprio cd Pelo selo KOLOMBOLO, com distribuição pela TRATORE. Temos aqui um artista de mão cheia, que além de compor musicas de alta patente, monta seu próprio repertório e toma conta da produção de seus discos. Marquinhos Jaca, através de seu trabalho, fortalecem as mais tradicionais raízes do samba, enaltecendo seus mestres imortais, com a honra de apresentarem-se como mais um de seus herdeiros.


O que:- Marquinhos Jaca
Quando:- Até 24 de Abril
Horário:- Terças às 19h
Onde:- Galeria Olido
End:- Av. São João, 473 (Próximo das estações República e Anhangabaú) (Centro) 
Tel:             (11) 3331-8399       / 3397-0171
Preço na Bilheteria: Grátis

Assista vídeo:

Tia Ciata - "A Mãe do Samba"

"TIA CIATA", MÃE DO SAMBA...

" O samba é o mais belo documento da vida e da alma do povo brasileiro". (Rosane Volpatto-extraído do Texto SAMBA, SABOR DO BRASIL) Um grande abraço ao nosso patrono PAULINHO DA VIOLA. (Veja mais na página História do Samba)
-------x-------

Pelo Fim da Ordem dos Músicos do Brasil !

Abaixo-Assinado Eletrônico pelo direito ao livre exercício da profissão de músico:

Participe você também, leia matérias neste blog.

Para assinar eletrônicamente:

http://www.carlosgiannazi.com.br/fale_conosco/abaixo-assinado-omb.htm

Paulinho da Viola- Entrevistado pelo programa Memória do Rádio

PAULINHO DA VIOLA - O Nosso Patrono

O Verso "Quando penso no futuro não esqueço meu passado" é creditado por Paulinho da Viola, em "Meu tempo é hoje", como sintese de sua obra, de sua vida. Recolhido de sua "Dança da Solidão"(72). (Pedro Alexandre Sanches - Folh aOn Line - 11/04/2003)

"Eu não costumo brigar com o tempo" afirma Paulinho da Viola (em 09/12/2004 - Folha On line)

"A música de Paulinho da Viola representa um universo particular dentro da cultura brasileira. Experimentá-la é reconhecer que a identidade cultural brasileira não é única, há sempre algo mais." (extraído do site de Paulinho da Viola)

A Obra de Paulinho da Viola já foi tema de livros, trabalhos acadêmicos, gravações e documentário. Em fase de finalizações, se encontra um Documentário realizado pela VideoFilmes com direção de Isabel Jaguaribe e roteiro de Zuenir Ventura. (Confira mais na página - PAULINHO DA VIOLA - Vídeos e muito mais)

-------x-------

AGENDA CULTURAL DA PERIFERIA

A Ação Educativa é uma organização não governamental sem fins lucrativos que desenvolve a apóia projetos voltados para a educação e juventude, por meio de pesquisas, formação, assessoria e produção de informações. Mantém em sua sede o espaço de Cultura e Mobilização Social, aberto ao público, que promove regularmente atividades de formação, intercâmbio e difusão cultural. Vale a pena acessar : http://www.acaoeducativa.org.br/

Confira As Comunidades de SAMBA divulgadas.
-------x-------

Samba do Sino comemora primeiro ano na noite de 15/12/2009 com história do samba

O Movimento Cultural Samba do Sino comemerou 01 ano de vida no último dia 15/12/2009, e presenteia os moradores da cidade com histórias que contam a evolução do samba no Brasil. A proposta nasceu com a idéia de resgatar esse pedaço da cultura popular. (Vanessa Coelho - Guarulhos Web 15/12/2009)