Samba do Sino

A Roda surge da necessidade em manter acesa a chama da Cultura Popular Brasileira, trazendo a tona histórias que são cantadas através de sambas tradicionais de todo o território nacional, da velha guarda aos novos compositores, pois o Samba Presente Não Esquece o Passado, deixando prevalecer o sotaque do samba paulista, do rural ao urbano. O Sino surge devido à dificuldade em encerrar o Samba às 22h, pois é realizado em bairro residencial. Surge a idéia de se utilizar um sino para indicar o final do samba. Ai começaram a dizer: –“Vamos naquele samba, aquele que o cara toca o Sino...” Assim acaba-se adotando o nome Samba do Sino. Houve a aceitação e respeito geral e assim se conveniou tocar o Sino para começar e para terminar o Samba.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Carmem Queiroz - Meu amigo Paulinho Amaral


Nosso amigo Paulinho Amaral se despediu da gente. Mas é como se já viesse se despedindo ao longo desses seis anos quando optou por se manter reservado em seu cantinho, brigando solitário pela vida, tentando curar os males da pressão sempre alta, da gota, do tratamento de hemodiálise...

Paulinho apesar da solidão que se impôs me ligava de vez em quando. Todo ano fazia questão que alguns amigos fossem almoçar com ele para comemorar seu aniversário. Alegremente eu fazia parte desse grupo. Nessas várias ocasiões Paulinho sempre contava risonho como foi que nos conhecemos.

Lembrava então que lá nos tempos do Bom Motivo, mil novecentos e noventa e alguma coisa, ele, um frequentador do bar, eu, uma cantora com um primeiro trabalho em disco. Ele prestigiava e segredava ao dono do bar, Roberto Lapicirella, amigo em comum, que o que queria mesmo era ser amigo da cantora e daquela turma de músicos tão animada que tocava e frequentava o boteco. E aconteceu da forma mais inusitada quando Roberto, sem sua autorização, acrescentou à sua conta um disco meu obrigando-o a comprá-lo. Sem saída, a única coisa que exigiu foi um autógrafo. Nunca mais se esqueceu disso.

E a gente manteve uma amizade tão bonita e sincera. Foi ele quem montou e dirigiu a primeira banda a me acompanhar – dizia que eu tinha que me profissionalizar. Amante da boa música e de um bom gosto musical, sugeriu, tocou e me ensinou para o meu repertório, além de outras tantas, as belas canções “Jamais” (Jacó do Bandolim/Luiz Bittencourt), “Nenhuma lágrima” (Sueli Costa), “Estrada do Sertão” (João Pernambuco/Hermínio Bello de Carvalho), afirmando que eram apropriadas para minha voz. Fizeram realmente a diferença, tanto que vim gravá-las mais tarde nos meus 3º e 4º CDs e foi como se eu o homenageasse (acho que disse isso a ele, não estou bem certa, mas acho que disse sim...).

Um dos mais recentes e melhores presentes que me deu foi sair de seu refúgio depois de tanto tempo sem frequentar atividades sociais e foi me ver no show de lançamento de meu mais recente CD, lá no SESC Pompéia, dizendo que não poderia perder. Esse era o meu amigo Paulo Amaral de muitos e muitos momentos fraternos e demonstrações de carinho.

Agora ele vai cumprir uma nova etapa em sua evolução. A espiritualização que começou por aqui busca o tempo de aceleração. Ele já está sendo mais feliz. Fique em paz meu amigo, você merece.

Tia Ciata - "A Mãe do Samba"

"TIA CIATA", MÃE DO SAMBA...

" O samba é o mais belo documento da vida e da alma do povo brasileiro". (Rosane Volpatto-extraído do Texto SAMBA, SABOR DO BRASIL) Um grande abraço ao nosso patrono PAULINHO DA VIOLA. (Veja mais na página História do Samba)
-------x-------

Pelo Fim da Ordem dos Músicos do Brasil !

Abaixo-Assinado Eletrônico pelo direito ao livre exercício da profissão de músico:

Participe você também, leia matérias neste blog.

Para assinar eletrônicamente:

http://www.carlosgiannazi.com.br/fale_conosco/abaixo-assinado-omb.htm

Paulinho da Viola- Entrevistado pelo programa Memória do Rádio

PAULINHO DA VIOLA - O Nosso Patrono

O Verso "Quando penso no futuro não esqueço meu passado" é creditado por Paulinho da Viola, em "Meu tempo é hoje", como sintese de sua obra, de sua vida. Recolhido de sua "Dança da Solidão"(72). (Pedro Alexandre Sanches - Folh aOn Line - 11/04/2003)

"Eu não costumo brigar com o tempo" afirma Paulinho da Viola (em 09/12/2004 - Folha On line)

"A música de Paulinho da Viola representa um universo particular dentro da cultura brasileira. Experimentá-la é reconhecer que a identidade cultural brasileira não é única, há sempre algo mais." (extraído do site de Paulinho da Viola)

A Obra de Paulinho da Viola já foi tema de livros, trabalhos acadêmicos, gravações e documentário. Em fase de finalizações, se encontra um Documentário realizado pela VideoFilmes com direção de Isabel Jaguaribe e roteiro de Zuenir Ventura. (Confira mais na página - PAULINHO DA VIOLA - Vídeos e muito mais)

-------x-------

AGENDA CULTURAL DA PERIFERIA

A Ação Educativa é uma organização não governamental sem fins lucrativos que desenvolve a apóia projetos voltados para a educação e juventude, por meio de pesquisas, formação, assessoria e produção de informações. Mantém em sua sede o espaço de Cultura e Mobilização Social, aberto ao público, que promove regularmente atividades de formação, intercâmbio e difusão cultural. Vale a pena acessar : http://www.acaoeducativa.org.br/

Confira As Comunidades de SAMBA divulgadas.
-------x-------

Samba do Sino comemora primeiro ano na noite de 15/12/2009 com história do samba

O Movimento Cultural Samba do Sino comemerou 01 ano de vida no último dia 15/12/2009, e presenteia os moradores da cidade com histórias que contam a evolução do samba no Brasil. A proposta nasceu com a idéia de resgatar esse pedaço da cultura popular. (Vanessa Coelho - Guarulhos Web 15/12/2009)