Samba do Sino

A Roda surge da necessidade em manter acesa a chama da Cultura Popular Brasileira, trazendo a tona histórias que são cantadas através de sambas tradicionais de todo o território nacional, da velha guarda aos novos compositores, pois o Samba Presente Não Esquece o Passado, deixando prevalecer o sotaque do samba paulista, do rural ao urbano. O Sino surge devido à dificuldade em encerrar o Samba às 22h, pois é realizado em bairro residencial. Surge a idéia de se utilizar um sino para indicar o final do samba. Ai começaram a dizer: –“Vamos naquele samba, aquele que o cara toca o Sino...” Assim acaba-se adotando o nome Samba do Sino. Houve a aceitação e respeito geral e assim se conveniou tocar o Sino para começar e para terminar o Samba.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Sesi Guarulhos Apresenta A Leitura Dramática De Peça De Nelson Rodrigues


Alunos do SESI A.E. Carvalho farão a apresentação do texto Vestido de Noiva, no dia 04 de julho (quarta-feira), às 20h. A programação, gratuita, integra o projeto Nelson Rodrigues 100 Anos

           São Paulo, 15/06/2012 – No ano do centenário de nascimento de Nelson Rodrigues (1912-1980), o SESI Guarulhos recebe, na quarta-feira, dia 04 de julho, às 20h, a leitura dramática da peça Vestido de Noiva, realizada pelos alunos de múltiplas linguagens do Núcleo de Artes Cênicas do SESI A.E. Carvalho. O evento, gratuito, integra o projeto Nelson Rodrigues 100 Anos, que tem curadoria de Ruy Castro, biógrafo do dramaturgo, e coordenação artística de Marco Antônio Braz, diretor teatral especialista na obra rodriguiana.

A leitura, dirigida por Martha Dias da Cruz Leite, Orientadora de Artes Cênicas do SESI A.E. Carvalho, abordará as rubricas rodriguianas como elemento de fundamental importância para a compreensão da obra do autor e para a formação artística dos mais de 400 estudantes dos Núcleos de Artes Cênicas do SESI-SP que integram o projeto itinerante.

Com o evento Nelson Rodrigues 100 Anos, o SESI-SP reafirma o seu compromisso com a democratização do acesso à cultura. Há mais de 40 anos, a instituição oferece ao público apresentações gratuitas. Na capital e em todo o Estado de São Paulo, os Centros Culturais, os Centros de Atividades e os 22 teatros da entidade promovem exposições, shows, peças teatrais, filmes e eventos literários. Atuando efetivamente na formação de público para as diferentes linguagens artísticas, o SESI-SP atende cerca de 2 milhões de espectadores anualmente.
Sinopse:

Vestido de Noiva (1943)
No verão de 1943, Nelson escreveu Vestido de Noiva em apenas uma semana, durante a madrugada. Como de costume, distribuiu cópias em busca da adesão dos intelectuais e críticos, ao mesmo tempo para intimidar a censura e atrair produtores. A peça estreou no inverno daquele ano no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Despojada da leveza da cena e compondo diálogos contundentes, realistas, a peça apresenta uma grande inovação: a subdivisão do palco, que aparece iluminado de três modos, representando três planos — o da realidade, o da alucinação e o da memória.    


SERVIÇO:
Local: SESI Guarulhos - rua Benedito Caetano da Cruz, 566, Jardim Adriana
Datas e horários: 4 de julho (quarta-feira), às 20h
Capacidade: 70 lugares
Classificação indicativa: 12 anos
Informações e agendamento:             (11) 2404-3133       ramal 228 (Rodolfo)
Entrada franca

terça-feira, 26 de junho de 2012

Oscar Niemeyer, Edu Krieger e Caio Marcelo - Samba "Tranquilo Com a Vida"


O arquiteto Oscar Niemeyer, uma lenda viva brasileira, se reinventa às vésperas de completar 103 anos, no dia 15 de dezembro, ao compor um samba para os músicos Edu Krieger e Caio Almeida.

Assista vídeo:

Confira a sinopse do enredo da Portela 2013


Homenagem os 400 anos do bairro de Madureira e o compositor Paulinho da Viola.

Rio -  A Portela entregou, na ultima sexta-feira, a sinopse que vai narrar à história dos seus 90 anos de glória e homenagear os 400 anos do bairro de Madureira e o compositor Paulinho da Viola que no dia 12 de novembro deste ano completa 70 anos.

Na palestra, o carnavalesco Paulo Menezes explicou que Paulinho será uma espécie de fio condutor do enredo, elaborado por ele e Carlos Monte.

Ainda no encontro, o coordenador de carnaval Alex pediu aos compositores portelenses que mantenham o nível do samba do carnaval 2012. A obra venceu todos os prêmios de carnaval e ganhou nota 10 de todos os jurados no desfile na Sapucaí.

A próxima reunião acontecerá no dia 15 de Junho, para que os poetas da azul e branco de Oswaldo Cruz e Madureira tire eventuais duvidas.

Confira a sinopse:

"Madureira... onde o meu coração se deixou levar"

Rio de Janeiro, 1970.

Avenida Presidente Vargas.

"Nesta Avenida colorida a Portela faz seu carnaval..."

Com o rosto molhado de suor e lágrimas, vejo a minha Escola conquistar a plateia com mais um desfile. Agora com um sabor especial, se aquecendo... "senti meu coração apressado, todo o meu corpo tomado, minha alegria voltar..."

E então pensei:

"Meu coração tem mania de amor..." E que amor é esse que me conquista a cada dia? Que amor é esse que move toda essa gente? De onde vem isso tudo e como essa história começou?

E é isso que vou descobrir.

E assim, com a alma aquecida de emoções, lá fui eu para Madureira, de trem, cantando samba, assim como Paulo Benjamin fazia décadas atrás.

"Eu canto samba
Porque só assim eu me sinto contente
Eu vou ao samba
Porque longe dele eu não posso viver..."

Quero trilhar os caminhos desse povo, como um "peregrino", descobrir sua gente, sua cultura, sua fé, o seu canto e o seu samba.

Descobrir sua história.

Pisar onde outrora pisaram tropeiros, escravos, boiadeiros, mercadores e imperadores, caminhos de trabalho e suor, onde antes só se viam fazendas, engenhos e fé, afinal toda essa história começa pela fé.

E o povo dança, o povo canta; dança o branco, dança o negro.

"Pisei na pedra
A pedra balanceou
Levanta meu povo
Cativeiro se acabou"

Negros fugidos, negros forros. Festa, jejum e esmola. Samba, dança, música e religião. Enfrentar a dor através da arte.

Casas de umbanda e casas de candomblé, liderança e mistério, atraindo a atenção para a "roça".

Caminhos de terra, caminhos de ferro.

E o povo vai chegando, de tudo quanto é direção. Imigrantes de dentro e de fora. Os caminhos viram estradas.

Estradas de terra, estradas de ferro.

Chega o progresso e com ele os ambulantes, que depois viram mercadinhos, os mercadinhos viram mercados e os mercados viram mercadões.

E eu... vou seguindo meu caminho.

Vou ouvindo batuques, ritmos e sons. Sons sincronizados, parecendo sapateado. Mas são apenas sons de pés, que dançam, chutam e pulam. Pés que vão construindo outros caminhos. Não importa se num tablado, no asfalto ou na grama, o importante é a ginga, que por vezes me lembra a de um malandro. Como tantos que esta história construiu. Ou como tantos que aqui chegaram para construir outras histórias. Malandros loiros, brancos, mulatos, sararás, crioulos. Assim como as músicas, loiras, brancas, mulatas, sararás e crioulas, ou como se diz agora: black.

"No carnaval, esperança
Que gente longe viva na lembrança
Que gente triste possa entrar na dança
Que gente grande saiba ser criança"

E o batuque continua.

Marchinhas, mascarados, coretos, baianas, blocos de sujo, carnaval...

São os caminhos da folia! Caminhos da fantasia, onde cada um é o que deseja ser, onde mulher pode virar homem e homem, virar mulher. E é através da fantasia, do sonho, que nascem duas das maiores Escolas de Samba da história.

E que orgulho hoje ver Portela e Império, juntas, a cantar que esse nosso lugar "que é eterno no meu coração. E aos poetas traz inspiração pra cantar e escrever".

Madureira é assim. Amor, atividade intensa, vivida com orgulho suburbano, lugar de morada da altiva nobreza popular, pois aqui reside a Majestade do Samba.

"Não posso definir
Aquele azul
Não era do céu
Nem era do mar..."

Tantos são os caminhos, e por eles vou atrás de suas histórias, me sentindo cada vez mais parte integrante dela, deste lugar e destes caminhos, que hoje se encontram mais uma vez, afinal...

Sou Paulo, sou Paulinho, da Viola e da Portela.

E tenho muito orgulho em contar esta história para vocês, afinal..."o meu coração se deixou levar."

E, agora, o mesmo trem que me trouxe, me leva de volta, e continuo batucando, não mais como Paulo Benjamin fazia, mas como todos os Portelenses continuam fazendo ainda hoje, preservando a sua memória e o seu lugar, que eternamente será conhecido como a "Capital do Samba".

"Madureiraaa, lá lá laiá."

Paulinho da Viola,
pelas mãos de Paulo Menezes (e mais uma vez os caminhos se cruzam).

Este enredo é dedicado aos noventa anos da Portela e a todos os portelenses que, infelizmente, não estão mais entre nós, mas que continuam abençoando a Portela lá de cima, do Olimpo dos sambistas.


Enredo e pesquisa: Paulo Menezes e Carlos Monte


Paulinho da Viola comemora os 70 com shows


O cantor faz no próximo dia 7 um show no Vivo Rio. Mas não é para festejar o aniversário, e sim um desejo do artista e da casa de repetir o sucesso da apresentação de 2011. Uma experiência inédita ele terá em 28 de novembro, pouco depois de completar 70 anos (no dia 12): cantará no Carnegie Hall. O site de um dos templos musicais de Nova York o apresenta como "o maior sambista vivo do Brasil".

O sonho dos fãs de ouvir um disco novo não acontecerá - seu último é de 2007. Paulinho alega muitos compromissos e uma consequente falta de tempo para entrar em estúdio. Segundo diz, está pela primeira vez acumulando canções inéditas. Tem, pelo menos, sete prontas.

Ele ainda pretende avaliar a remasterização de seus 11 discos (1968 a 1979) que a EMI relançará até o fim do ano.

Samba do Sino ao VIvo dia 26/06/2012


O Que:- Samba do Sino
Quando:- 26/06/2012
Horário:- 20h30
Onde:- Bar III Milênio
End:- R Luiz Faccini, 528 - Centro - Guarulhos - SP
Entrada Franca

Vladimir Herzog


Prisão e Morte

Vlado Herzog (Osijek, Croácia (à época ainda parte do Reino da Iugoslávia), 27 de junho de 1937 — São Paulo, 25 de outubro de 1975) foi um jornalista, professor e dramaturgo. Passou a assinar "Vladimir" por considerar seu nome muito exótico nos trópicos. Naturalizado brasileiro, Vladimir também tinha paixão pela fotografia, atividade que exercia por conta de seus projetos com o cinema.

O nome de Vladimir tornou-se central no movimento pela restauração da democracia no Brasil após 1964. Militante do Partido Comunista Brasileiro, foi torturado até a sua morte em São Paulo, após ter se dirigido pessoalmente ao orgão para um interrogatório sobre suas atividades "ilegais". Segundo o jornalista Sérgio Gomes, Vladimir Herzog é um "símbolo da luta pela democracia, pela liberdade, pela justiça."

Vladimir era casado com a publicitária Clarice Herzog, com quem teve dois filhos. Com a morte do marido, Clarice passou por maus momentos, com medo e opressão e teve que contar para os filhos pequenos o que havia ocorrido com o pai. Clarice, três anos depois (1978), conseguiu que a União fosse responsabilizada, de forma judicial, pela morte do esposo. Ainda sem se conformar, ela diz que "Vlado contribuiria muito mais para a sociedade se estivesse vivo".

Prisão e morte

Em 24 de outubro de 1975 — época em que Herzog já era diretor de jornalismo da TV Cultura — agentes do II Exército convocaram Vladimir para prestar depoimento sobre as ligações que ele mantinha com o Partido Comunista Brasileiro (que fora colocado na ilegalidade pela ditadura militar). No dia seguinte, Herzog compareceu ao pedido. O depoimento de Herzog foi realizado numa sessão de tortura. Ele estava preso com mais dois jornalistas, George Benigno Duque Estrada e Rodolfo Konder, que confirmaram o espancamento.

No dia 25 de Outubro, Vladimir foi oficialmente "encontrado enforcado com o cinto de sua própria roupa". Embora a causa oficial do óbito, divulgada pelos orgãos de repressão da época, seja suicídio por enforcamento, há consenso na sociedade brasileira de que ela resultou de intenso processo de tortura, com suspeição sobre servidores do DOI-CODI, que teriam posto o corpo na posição encontrada, pois as fotos exibidas mostram Vlado enforcado. Porém, nas fotos divulgadas há várias inverossimilhanças. Uma delas é o fato de que ele se enforcou com um cinto, coisa que os prisioneiros do DOI-CODI não possuíam. Além disso, suas pernas estão dobradas e no seu pescoço há duas marcas de enforcamento, o que mostra que sua morte foi feita por estrangulamento.

Na época, era comum que o governo militar ditatorial divulgasse que as vítimas de suas torturas e assassinatos haviam perecido por "suicídio", fuga ou atropelamento, o que gerou comentários irônicos de que Herzog e outras vítimas haviam sido "suicidados pela ditadura". Em sentença histórica, responsabilizando a União pela morte, em outubro de 1978, o juiz federal Márcio Moraes pediu a apuração da autoria e das condições da morte. Entretanto nada foi realizado (Luiza Villaméa. "Memória e Silêncio". 28.Set.05. Isto É).
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Asssita Vídeo:- 

Entre Um Trago e um Samba - Hélio Rubi E Airton Santa Maria


Entre um Trago e um Samba, Hélio Rubi e Airton Santa Maria exaltando os grandes poetas do samba.


Todas as quintas-feiras o Projeto Lamparina Brasil terá no cardápio pratos a base de caranguejo.

O que:- Helio Rubi e Airton Santa Maria
Quando:- 28/06/2012
Horário: 19h às 23h
Projeto Cultural Lamparina Brasil
Rua Marquês de Paranaguá, 377 - entre Augusta e Frei Caneca
Couvert Artistico: R$10,00
Informações:             11 2532 8920 

SÓ PRETO SEM PRECONCEITO e TOMANDO PARTIDO ao Vivo no PARADA 93


Nesta Sexta 29/06 Vamos Relembrar os Bons Tempos com o Grupo  SÓ PRETO SEM PRECONCEITO  ao VIVO no  Parada 93.

Roda de Samba Malandreada !

O que:- Tomando Partido e Só Preto Sem Preconceito .
Quando:- 29/06/2012
Horário:- das 19h às 2h
Onde:- Parada 93
End:- Av. Gabriela Mistral , 93 ( Penha ) em frente ao Terminal de Ônibus e Mercadão /
Convites Antecipados : Homem 10 / Mulher 5

Brão Lopes - ( oi ) 65599190 ou ( Tim ) 68367932 ( Vivo ) 72903420

Imperdível !

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Samba Autêntico – 1º Arraia da Folia


Venha participar desta grande Festa Junina com muita comida típica, pipoca, quentão, brincadeiras e muito mais! Haverá uma grande festa no Terreiro.

O que:- 1º Arraia da Folia
Quem:- Samba Autêntico
Quando:- 23/06/2012
Horário:- 13h
Onde:- Instituo Cultural Samba Autêntico
End:- R Itacuaçú, 157 – V Bancária Munhoz – Freguesia do Ó

Comunidade Buraco do Sapo – Projeto Essência do Samba


Samba de raiz da melhor qualidade com a Comunidade Buraco do Sapo.

O que:- Projeto Essência do Samba
Quando:- 26/06/2012
Horário:- das 18h30 às 23h
Onde:- Casa de Cultura Freguesia do Ó

Samba Beneficente para o Lar Da Criança 'Mons Noronha"


Com a presença de Waldir 59 das Portela

O que:- Samba Beneficente
Quando:- Sábado agora dia 23/06
Presemça Waldir 59 da Portela
Horário:- das 10h às 20h
Onde:-  Bar do Boné
End:- Av. Nossa Senhora da Saúde, 1007 - Vila das  Merces -SP 
(Região da Saúde e Sacomã).
Como chegar ligar no 156 e passar seu ponto de partida ou acessar www.sptrans.com.br
Entrada Franca - Mas é necessário Levar Meio Kilo de Carne ou Frango ou Costelinha etc - Não é necessário levar Linguiça, pois já estarão levando 5 kg.

                     E pessoal do SAMBA por favor levarem instrumentos.
                                 Sr. Waldir 59 da Portela estará presente.

Organização - do Casal Laurinha e Paulão

O Lar Da Criança Monsenhor Noronha

         A criação do Lar da Criança é a realização de um sonho do Monsenhor Joaquim de Oliveira Noronha (Pe. Quinzinho) de “acolher, amparar, orientar e ajudar a criança pobre” da cidade de Brasópolis, MG. Assim, aos 19/06/1970 a Prefeitura Municipal criou a Comissão Municipal do Bem Estar do Menor (COMBEM) para fazer esse trabalho. No início as atividades com as crianças eram feitas numa pequena casa, que já estava em estado precário.

A convite da referida Comissão, Pároco, Prefeito e Promotor, o Instituto das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora de Fátima assumiram o Lar da Criança “Monsenhor Noronha”, como sua primeira filial em 01/03/1977, quando as Irmãs passaram a residir na cidade e coordenar as atividades com as crianças. E diante da precariedade das instalações para atender as crianças, o Instituto iniciou a construção de uma nova casa, que foi inaugurada em 18 de dezembro de 1978, mais ampla, para atender as necessidades.

Em 2007 o Instituto completou 30 anos de atividades com as crianças no Lar, procurando sempre levar em frente a finalidade e os objetivos do início, o acolhimento à criança, seguindo o conselho evangélico: “Deixem as crianças vir a mim” (Mc 10,14), amparando e auxiliando-a na sua formação e desenvolvimento enquanto pessoa, dando apoio e amparo e ajudando as famílias na formação integral da criança.

Atividades principais: Alimentação (lanche (café M.), almoço, lanche), lazer, esporte, estudo complementar, informática, artes, coral. Tudo mantido basicamente com doações e algumas poucas verbas, e serviços de voluntários.

NOSSA MISSÃO: “Acolher, Amar e Cuidar da VIDA… especialmente das Crianças e dos Adolescentes mais necessitados, auxiliando-os para um Desenvolvimento Integral”.

Encontro dos Amigos Maria Zélia – Samba do Maria Zélia


O que:- Samba do Maria Zélia
Quem:- Encontro dos Amigos Maria Zélia
Convidado Especial:- Cleber Augusto
Quando:- 24/06/2012
Horário:- das 15h às 22h
End:- R José Pinheiro Bezerra, s/ nº - Próx. Ponte Vila Maria – S Paulo
Ingressos:- Homem R$ 15,00  Mulher R$ 8,00

Nos intervalos muito Samba Rock e Flash Back.

Tomando Partido – Roda de Samba Malandreada


O que:- Tomando Partido
Quem:- Brão Lopes, Marquinhos Jaca, Ricardo Guilherme, Júnior Sorriso, Fabinho, Alexandre Cafa e Ricardinho Olaria.
Quando:- 22/06/2012
Horário:- 19h às 00h
Onde:- Parada 93
End:- Av Gabriela Mistral, 93 – Penha – São Paulo – SP
Entrada:- R$ 5,00
Churrasco na Faixa.

3º Festival de Teatro Infantil


REGULAMENTO

DISPOSIÇÕES INICIAIS
A Comissão Organizadora do 3º FESTIVAL DE TEATRO INFANTIL EM SÃO PAULO torna público, para conhecimento dos interessados, o presente regulamento que estabelece normas para participação na 3ª edição que acontecerá de 07 de setembro a 18 de novembro de 2012 em São Paulo - SP.

OBJETIVO
Tornar público as inscrições para o 3º FESTIVAL DE TEATRO INFANTIL EM SÃO PAULO, para grupos, companhias de teatro ou produtoras que tenham trabalhos teatrais, sendo direcionados para o público infantil, para serem apresentados em teatro.

INSCRIÇÕES PARA PRÉ-SELEÇÃO
·         Inscrições são gratuitas;
·         O período de inscrições é de 19 de junho a 29 de junho de 2012.
·         As inscrições serão realizadas por meio da ficha de inscrição em anexo ou solicitada através do e-mail robson@velladoproducoes.com.br
Poderão se inscrever pessoas físicas ou jurídicas de direito privado, residentes no Brasil ou em outros países.

LOCAL DAS APRESENTAÇÕES
Teatro Ressurreição na Rua dos Jornalistas, 123 – ao lado do metrô Jabaquara com capacidade para 390 pessoas.

CONTEÚDO DO PROJETO
- Nome do Espetáculo;
- Contato: Fone, E-mail, Site e nome do responsável;
- Release do espetáculo;
- Ficha técnica detalhada contendo: Nome completo, Rg, Cpf, Nome artístico e função no espetáculo;
- Currículo da companhia;
- Cd ou DVD com fotos do espetáculo (com definição de no mínimo 300 dpi e no maior tamanho possível);
- Gravação em DVD do espetáculo;
- Clipping;
- Duração do espetáculo;
- Classificação Indicativa;
- Mapa de luz;
- Mapa de som;
- Mapa de palco;
- Descrição de cenário contendo peso e medidas.
- Dados para confecção do Contrato: Razão Social, CNPJ, Responsável, RG, CPF e Endereço completo;
- Declaração do Autor ou do SBAT autorizando a montagem do texto;
- Declaração de regularização das músicas, emitida pelo ECAD ou declaração de autor liberando as músicas para o espetáculo, devidamente carimbada pelo ECAD;
- Especificações técnicas e outras informações que possam ser necessárias.
 As propostas poderão ser enviadas por e-mail, correio (sedex ou carta registrada) ou pessoalmente para:

E-mail:
robson@velladoproducoes.com.br (Neste caso enviar o DVD pelo Correio ou pessoalmente)

Correio:
TEATRO RESSURREIÇÃO
A/C.: Robson Vellado
Rua dos Jornalistas, 123 – Bairro: Cidade Vargas – São Paulo – SP
CEP: 04318-000
Pessoalmente
Somente de Quarta a Domingo das 14hs às 18hs.
Os interessados que optarem por entregar o material no endereço acima, deverão providenciar protocolo de recebimento.

SELEÇÃO
1. Os projetos inscritos serão analisados pela Comissão Organizadora do 3º FESTIVAL DE TEATRO INFANTIL EM SÃO PAULO e por curadores convidados.
2. Os principais critérios para análise das propostas são: qualidade artística e sua viabilidade físico-financeira, sempre observando o perfil e o conceito do 3º FESTIVAL DE TEATRO INFANTIL EM SÃO PAULO
RESULTADOS
O Resultado será divulgado no dia 11 de julho de 2012 no site:


MAIS INFORMAÇÕES
Fone:             (11) 5016-1787     
E-mail: robson@velladoproducoes.com.br 

terça-feira, 19 de junho de 2012

Samba do Sino em Guarulhos


Hoje tem Samba do Sino. Participação de Marta Fróes.

O que:- Samba do Sino
Quando:- 19/06/2012
Horário:- 20h30
Onde:- Bar III Milênio
End:- R Luiz Faccini, 528 – Centro – Guarulhos
Entrada Franca









TERREIRO DE COMPOSITORES NA AÇÃO EDUCATIVA (06/07/12)


Espaço Cultural Periferia no Centro apresenta o "Samba da Comunidade" com: TERREIRO DE COMPOSITORES com uma apresentação de sambas inéditos de diversos compositores.

O que:- Terreiro de Compositores
Quando:- 06/07/12 (Sexta-Feira)
Horário:- a partir das 19h30
Onde:- Ação Educativa
Endereço: Rua General Jardim, 660 - Consolação - São Paulo - SP
(Próx. ao Metrô Santa Cecília)

Assista vídeo:

NOITE DOS COMPOSITORES no Bar Pau Brasil


Amanhã (19/06/12) a partir das 22hs os Compositores Vagner Donelli, Dodô Andrade e Giba estarão se apresentando na "Noite dos Compositores' no Bar Pau Brasil.

O que:- Noites do Canta Brasil e Noites dos Compositores
Onde:- Bar Pau Brasil
Quando:-19/06/2012
End: Rua Inácio Pereira da Rocha, 54 - Vila Madalena
Horári:- das 22:00 as 2:00
Entrada:- R$8,00

Assista vídeo:

CHICO BUARQUE

Aniversário de Nascimento 19/06/1944.


Francisco Buarque de Hollanda, mais conhecido por Chico Buarque ou Chico Buarque de Hollanda, (pseudônimo durante a ditadura Julinho da Adelaide),


Filho do historiador Sérgio Buarque de Holanda, iniciou sua carreira como escritor em 1962, quando escreveu seu primeiro conto aos 18 anos, ganhando destaque como cantor a partir de 1966, quando lançou seu primeiro álbum, Chico Buarque de Hollanda, e venceu o Festival de Música Popular Brasileira com a música A Banda. Socialista declarado autoexilou-se na Itália em 1969, devido à crescente repressão da ditadura militar no Brasil nos chamados "anos de chumbo", tornando-se, ao retornar, em 1970, um dos artistas mais ativos na crítica política e na luta pela democratização no país. Na carreira literária, foi vencedor de três Prêmios Jabuti: o de melhor romance em 1992 com Estorvo e o de Livro do Ano, tanto pelo livro Budapeste, lançado em 2004, como por Leite Derramado, em 2010.

Foi casado por 33 anos (de 1966 a 1999) com a atriz Marieta Severo, com quem teve três filhas, Sílvia Buarque, Helena e Luísa. Chico é irmão das cantoras Miúcha, Ana de Hollanda e Cristina. Ao contrário da crença popular, Aurélio Buarque era apenas um primo distante do pai de Chico.

Início de carreira

Chico Buarque chegou a ingressar no curso de Arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU) em 1963. Cursou dois anos e parou em 1965, quando começou a se dedicar à carreira artística. Neste ano, lançou Sonho de Carnaval, inscrita no I Festival Nacional de Música Popular Brasileira, transmitida pela TV Excelsior, além de Pedro Pedreiro, música fundamental para experimentação do modo como viria a trabalhar os versos, com rigoroso trabalho estilístico morfológico e politização, mais significativamente na década de 1970. A primeira composição séria, Canção dos Olhos, é de 1961.

Conheceu Elis Regina, que havia vencido o Festival de Música Popular Brasileira (1965) com a canção Arrastão, mas a cantora acabou desistindo de gravá-lo devido à impaciência com a timidez do compositor. Chico Buarque revelou-se ao público brasileiro quando ganhou o mesmo Festival, no ano seguinte (1966), transmitido pela TV Record, com A Banda, interpretada por Nara Leão (empatou em primeiro lugar com Disparada, de Geraldo Vandré e interpretado por Jair Rodrigues). No entanto, Zuza Homem de Mello, no livro A Era dos Festivais: Uma Parábola, revelou que "A Banda" venceu o festival. O musicólogo preservou por décadas as folhas de votação do festival. Nelas, consta que a música "A Banda" ganhou a competição por 7 a 5. Chico, ao perceber que ganharia, foi até o presidente da comissão e disse não aceitar a derrota de Disparada. Caso isso acontecesse, iria na mesma hora entregar o prêmio ao concorrente.
No dia 10 de outubro de 1966, data da final, iniciou o processo que designaria Chico Buarque como unanimidade nacional, alcunha criada por Millôr Fernandes.

Canções como Ela e sua Janela, de 1966, começam a demonstrar a face lírica do compositor. Com a observação da sociedade, como nas diversas vezes em que citação do vocábulo janela está presente em suas primeiras canções: Juca, Januária, Carolina, A Banda e Madalena foi pro Mar. As influências de Noel Rosa podem ser notadas em A Rita, 1965, citado na letra, e Ismael Silva, como em marchas-ranchos.
Festivais de MPB na década de 1960

No festival de 1967 faria sucesso também com Roda Viva, interpretada por ele e pelo grupo MPB-4 — amigos e intérpretes de muitas de suas canções. Em 1968 voltou a vencer outro Festival, o III Festival Internacional da Canção da TV Globo. Como compositor, em parceira com Tom Jobim, com a canção Sabiá. Mas desta vez a vitória foi contestada pelo público, que preferiu a canção que ficou em segundo lugar: Pra não dizer que não falei de flores, de Geraldo Vandré.
A participação no Festival, com A Banda, marcou a primeira aparição pública de grande repercussão apresentando um estilo amparado no movimento musical urbano carioca da Bossa nova, surgido em 1957. Ao longo da carreira, o samba e a MPB também seriam estilos amplamente explorados.

Trilha-sonora e adaptações de livros

Chico participou como autor e compôs várias canções de sucesso para o filme Quando o Carnaval chegar, musical de Cacá Diegues. Compôs a canção-tema do longa-metragem Vai trabalhar Vagabundo, de Hugo Carvana — Carvana chegou a modificar o roteiro a fim de usá-la melhor. Faria o mesmo com os filmes seguintes desse diretor: Se segura malandro e Vai trabalhar vagabundo II. Adaptou canções de uma peça infantil para o filme Os Saltimbancos Trapalhões do grupo humorístico Os Trapalhões e com interpretações de Lucinha Lins. Outras adaptações de uma peça homônima de sua autoria foram feitas para o filme A Ópera do Malandro (filme), mais um musical cinematográfico. Vários filmes que tiveram canções-temas de sua autoria e que fizeram muito sucesso além dos citados: Bye Bye Brasil, Dona Flor e seus dois maridos e Eu te amo, os dois últimos com Sônia Braga. Recentemente, chegou a ter uma participação especial como ator no filme Ed Mort. Ele escreveu um livro que virou filme, Benjamim, que foi ao ar nos cinemas em 2003, tendo como intérpretes dos personagens principais Cleo Pires, Danton Melo e Paulo José.

Em maio de 2009, é lançado o filme Budapeste com roteiro baseado em livro homônimo de Chico Buarque. No filme há também a participação especial do escritor.

Teatro e literatura

Musicou as peças Morte e vida severina e o infantil Os Saltimbancos. Escreveu também várias peças de teatro, entre elas Roda Viva (proibida), Gota d'Água, Calabar (proibida), Ópera do malandro e alguns livros: Estorvo, Benjamim, Budapeste e Leite Derramado.
Chico Buarque sempre se destacou como cronista nos tempos de colégio; seu primeiro livro foi publicado em 1966, trazendo os manuscritos das primeiras composições e o conto Ulisses, e ainda uma crônica de Carlos Drummond de Andrade sobre A Banda. Em 1974, escreve a novela pecuária Fazenda modelo e, em 1979, Chapeuzinho Amarelo, um livro-poema para crianças. A bordo do Rui Barbosa foi escrito em 1963 ou 1964 e publicado em 1981. Em 1991, publica o romance Estorvo (vencedor do Prêmio Jabuti de melhor romance em 1992[15])e, quatro anos depois, escreve o livro Benjamim. Em 2004, o romance Budapeste ganha o Prêmio Jabuti de Livro do Ano. Em 2009, lança o livro Leite Derramado, que também recebe o Prêmio Jabuti de Livro do Ano. Oficialmente, a vendagem mínima de seus livros é de 500 mil exemplares no Brasil.

Polêmica sobre o Prêmio Jabuti

Tanto Budapeste quanto Leite Derramado venceram o prêmio Jabuti como Livro do Ano sem terem vencido o mesmo prêmio na categoria Melhor Romance. Budapeste foi o terceiro colocado na premiação de melhor romance de 2004, enquanto Leite Derramado havia sido o segundo colocado em 2010. Após a escolha de 2010, muitas críticas foram feitas à forma de premiação, tendo em vista que na premiação por categorias, o júri seria composto por especialistas, sendo que na premiação para Livro do Ano, a votação representaria a vontade dos empresários do setor. Os três primeiros colocados de cada categoria concorriam ao prêmio final, de Livro do Ano. Uma petição on line, intitulada "Chico, devolve o Jabuti!", recolheu milhares de assinaturas. A editora Record (que publicara Se Eu Fechar os Olhos Agora, de Edney Silvestre, vencedor na categoria melhor romance e preterido na votação final) criticou o regulamento do prêmio, alegando que favoreceria pessoas com grande penetração na mídia e seria um desrespeito com o júri especializado e com os próprios autores, anunciando que deixaria de inscrever candidatos ao prêmio. Com a polêmica, foi anunciado que em 2011 apenas os vencedores de cada categoria concorreriam à premiação final.

Programas televisivos

Deixou de participar de programas populares de televisão, tendo problemas com o apresentador Chacrinha, que teria feito uma piada com a letra da canção Pedro Pedreiro, ao ouvir o ensaio. Irritado, Chico foi embora e nunca se apresentou no programa. O executivo Boni proibiu qualquer referência a Chico durante a programação da TV Globo, depois que ambos também tiveram um entrevero, mas por pouco tempo, uma vez que ainda durante a década de 1970 (e o começo da de 80) músicas suas constavam das trilhas de várias telenovelas, como Espelho Mágico e Sétimo Sentido. Ao fim da proibição vários anos depois, Chico aceitou fazer um programa com Caetano Veloso, que contou com a participação de outros artistas.

Crítica ao Regime Militar do Brasil

Ameaçado pelo Regime Militar no Brasil, esteve auto-exilado na Itália em 1969, onde chegou a fazer espetáculos com Toquinho. Nessa época teve suas canções Apesar de você (que dizem ser uma alusão negativa ao presidente Emílio Garrastazu Médici, mas que Chico sustenta ser em referência à situação) e Cálice proibidas pela censura brasileira. Adotou o pseudônimo de Julinho da Adelaide, com o qual compôs apenas três canções: Milagre Brasileiro, Acorda amor e Jorge Maravilha. Na Itália Chico tornou-se amigo do cantor Lucio Dalla, de quem fez a belíssima Minha História, versão em português (1970) da canção Gesù Bambino (título verdadeiro 4 marzo 1943), de Lucio Dalla e Paola Palotino. Em viagem a França, tornou-se amigo de Carlos Bandeirense Mirandópolis inspirando-se em uma de suas composições para criar Samba de Orly.

Ao voltar ao Brasil continuou com composições que denunciavam aspectos sociais, econômicos e culturais, como a célebre Construção ou a divertida Partido Alto. Apresentou-se com Caetano Veloso (que também foi exilado, mas na Inglaterra) e Maria Bethânia. Teve outra de suas músicas associada a críticas a um presidente do Brasil. Julinho da Adelaide, aliás, não era só um pseudônimo, mas sim a forma que o compositor encontrou para driblar a censura, então implacável ao perceber seu nome nos créditos de uma música. Para completar a farsa e dar-lhe ares de veracidade, Julinho da Adelaide chegou a ter cédula de identidade e até mesmo a conceder entrevista a um jornal da época.

Uma das canções de Chico Buarque que criticam a ditadura é uma carta em forma de música, uma carta musicada que ele fez em homenagem ao Augusto Boal, que vivia no exílio, quando o Brasil ainda vivia sob a ditadura militar.

A canção se chama Meu Caro Amigo e foi dirigida a Boal, que na época estava exilado em Lisboa. A canção foi lançada originalmente num disco de título quase igual, chamado Meus Caros Amigos, do ano de 1976.

Nordeste já

Valendo-se ainda do filão engajado da pós-ditadura, cantou, ainda que com uma participação individual diminuta, no coro da versão brasileira de We Are the World, o hit estadunidense que juntou vozes e levantou fundos para a África ou USA for Africa. O projeto Nordeste Já (1985) abraçou a causa da seca nordestina, unindo 155 vozes num compacto de criação coletiva com as canções Chega de mágoa e Seca d'água. Elogiado pela competência das interpretações individuais, foi no entanto criticado pela incapacidade de harmonizar as vozes e o enquadramento de cada uma delas no coro.

Assista vídeo:


Livros
§                    1974: Fazenda Modelo
§                    1979: Chapeuzinho Amarelo
§                    1981: A bordo do Rui Barbosa (ilustrações de  Vallandro Keating)
§                    1991: Estorvo (primeiro romance)
§                    1995: Benjamim
§                    2003: Budapeste
§                    2009: Leite Derramado
Peças
§                    1967/8: Roda Viva
§                    1973: Calabar (co-escrita com Ruy Guerra)
§                    1975: Gota d'Água
§                    1978: Ópera do Malandro
§                    1983: O Grande Circo Místico



Filmes
§                    1972: Quando o carnaval chegar (coautor)
§                    1980: Certas Palavras
§                    1983: Para Viver um Grande Amor (coautor)
§                    1985: Ópera do Malandro
§                    1995: O Mandarim (filme) (ator)

Discografia

1966: Chico Buarque de Hollanda
1966: Morte e Vida Severina
1967: Chico Buarque de Hollanda vol. 2
1968: Chico Buarque de Hollanda (compacto)
1968: Chico Buarque de Hollanda vol. 3
1969: Umas e Outras (compacto)
1969: Chico Buarque na Itália
1970: Apesar de Você
1970: Per un Pugno di Samba
1970: Chico Buarque de Hollanda - Nº4
1971: Construção
1972: Quando o Carnaval Chegar
1972: Caetano e Chico Juntos e ao Vivo
1973: Chico Canta
1974: Sinal Fechado
1975: Chico Buarque & Maria Bethânia ao Vivo
1976: Meus Caros Amigos
1977: Cio da Terra compacto
1977: Os Saltimbancos (álbum)
1977: Gota d'Água
1978: Chico Buarque
1979: Ópera do Malandro
1980: Vida
1980: Show 1º de Maio
1981: Almanaque
1981: Saltimbancos Trapalhões
1982: Chico Buarque en Español
1983: Para Viver um Grande Amor (trilha sonora)
1983: O Grande Circo Místico
1984: Chico Buarque
1985: O Corsário do Rei
1985: Malandro
1986: Melhores Momentos de Chico & Caetano
1986: Ópera do Malandro
1987: Francisco
1988: Dança da Meia-Lua
1989: Chico Buarque
1990: Chico Buarque ao vivo Paris Le Zenith (disco de ouro)
1993: Paratodos (disco de ouro)
1995: Uma Palavra
1997: Terra
1998: As Cidades (disco de ouro)
1998: Chico Buarque de Mangueira
1999: Chico ao Vivo (disco de ouro)
2001: Cambaio
2002: Chico Buarque – Duetos
2004: Perfil - Chico Buarque
2005: Chico No Cinema
2006: Carioca (CD + DVD com o documentário Desconstrução)
2007: Carioca Ao Vivo
2008: Chico Buarque Essencial
2010: Chico Buarque Perfil 2
2011: Chico


Fonte: wikipédia

sábado, 16 de junho de 2012

1º Aniversário Comunidade Samba da Camélia


A Comunidade Samba da Camélia está comemorando o Primeiro Aniversário. Com grande alegria convidamos você a participar de nossa 6ª Roda de Samba do ano.

O que:- Primeiro Aniversário
Quem:- Comunidade Samba da Camélia
Convidados:- Comunidade Mogi, samba da Alegria, Samba da Tenda e União Samba Clube
Quando:- 16/06/2012
Horário:- 15h
Onde:- R Antonio Freire da Silva, 129- Jd das Camélias – ZL – São Paulo – SP


Assista vídeo:

sexta-feira, 15 de junho de 2012

O Teatro Mágico no Espaço Lux


O Teatro Mágico traz seus sucessos como "de Ontem em Diante", "A Bailarina e o Soldado de Chumbo", "A Fé Solúvel", trazendo uma espécie de Rock Progressivo.

O que:- O Teatro Mágico
Quando:- Dia 16 de Junho (sábado)
Horário:- às 17h
Onde:- Espaço Lux
End:- Rua Antonio Luiz Valério, 93 (Centro - São Bernardo do Campo) 
Tel:             (11) 4339-4903      
Preço na Bilheteria: De R$ 35,00 a R$ 120,00 
Recomendação: 18 anos
Assista vídeo:

Sax Bem Temperado


O quarteto de saxofones tem a proposta de apresentar um repertório essencialmente de música popular brasileira em arranjos originais, apresentando um repertório composto por temas consagrados que abrange sambas e choros tradicionais como os de Noel Rosa, Pixinguinha, Dorival Caymmi, Adoniran Barbosa Severino Araújo e clássicos da música instrumental como Hermeto Paschoal, César Camargo Mariano, Vítor Assis Brasil e Tom Jobim.

O que:- Sax Bem temperado
Quando:- Dia 17 de Junho (domingo)
Horário:- às 11h
Onde:- Praça Victor Civita
End:- Rua Sumidouro, 580 (Pinheiros) 
Tel:             (11) 3037-8696      
Preço na Bilheteria: Grátis

Assista vídeo:-

Grupo Paranapanema


O Grupo Paranapanema recebe diversos artistas em uma homenagem ao samba paulista, suas raízes e batuques, recebendo como convidados: Cássio “Portuga”, Teroca, Toinho Melodia, A Quatro Vozes e Sambaqui.


O que:- Paranapanema
Quando:- Dia 16 de Junho (sábado)
Horário:-  às 20h
Onde:- Espaço Cachuera! (100 lugares)
End:- Rua Monte Alegre, 1.094 (Perdizes) 
Tel:             (11) 3872-8113      
Preço na Bilheteria: R$ 6,00

Assista vídeo:

Ná Ozzetti e Dú Gomide


A dupla marca ritmo em tico-tico no fubá, clássicos de Chiquinha Gonzaga, além de resgatar a profunda emoção de Heitor Villa Lobos em Melodia Sentimental.

O que:- Na Ozzetti
Quando:- Dia 16 de Junho (sábado)
Horário:- às 16h
Onde:- Praça do Patriarca
End:- Praça do Patriarca s/n (Sé) 
Tel: (11)
Preço na Bilheteria: Grátis

Assista vídeo:

Eduardo Gudin e Notícias de um Brasil - Participação Especial: Elton Medeiros


Eduardo Gudin e Notícias De um Brasil - 3 Tempos apresenta músicas do DVD homônimo do compositor Eduardo Gudin. No palco, Eduardo Gudin será acompanhado pela atual formação de seu grupo, integrado por Karina Ninni, Maurício Sant'Anna e Karine Telles nos vocais e pelos percussionistas Osvaldo Reis, Raphael Moreira, Ewerton Almeida e Jorginho Cebion, além de Paulinho Grassmann ao cavaquinho e percussão. O show contará também com a participação especial do cantor e compositor Elton Medeiros.

O que Eduardo Gudin
Pariticpação:- Elton Medeiros
Quando:- Estréia dia 16 Até 17 de Junho
Horáios:- sábado às 19h e domingo às 18h.
Onde:- SESC Bom Retiro
End:- Al. Nothmann, 185 (Bom Retiro) 
Tel:             (11) 3332-3600      
Preço na Bilheteria: De R$ 6,00 a R$ 24,00
Venda pelo sistema INGRESSOSESC, a partir de 01/06, às 14h. Venda limitada a 2 ingressos por pessoa.

Assista vídeo:

Casa Forte


O grupo é influenciado pela música popular, regional e folclórica. Aproveita a sonoridade não tão comum que esta formação oferece, e busca com composições próprias e releituras de temas conhecidos pelo público geral, difundir a música brasileira em outros países.

O que:- Casa Forte
Quando:- Dia 16 de Junho
Horário:- às 19h (Deck do Jardim)
Onde:- SESC Santana
End:- Av. Luiz Dumont Vilares, 579 (Santana) 
Tel:             (11) 2971-8700      
Preço na Bilheteria: Grátis

Arrigo Barnabé


Caixa de ódio é o espetáculo onde Arrigo Barnabé canta e interpreta as canções de Lupicinio Rodrigues que mesclam revolta, indignação, sentimento de perda, displicência e humor.

O que:- Arrigo Baranbé
Quando:- Dia 16 de Junho (sábado)
Horário:- às 20h
Onde:- Teatro Clara Nunes
End:- Rua Graciosa, 300 (Centro - Diadema) 
Tel:             (11) 4056-3366      
Preço na Bilheteria: Grátis
Retirar ingresso com 1 hora de antecedência no local.

Assistir vídeo:-

Tia Ciata - "A Mãe do Samba"

"TIA CIATA", MÃE DO SAMBA...

" O samba é o mais belo documento da vida e da alma do povo brasileiro". (Rosane Volpatto-extraído do Texto SAMBA, SABOR DO BRASIL) Um grande abraço ao nosso patrono PAULINHO DA VIOLA. (Veja mais na página História do Samba)
-------x-------

Pelo Fim da Ordem dos Músicos do Brasil !

Abaixo-Assinado Eletrônico pelo direito ao livre exercício da profissão de músico:

Participe você também, leia matérias neste blog.

Para assinar eletrônicamente:

http://www.carlosgiannazi.com.br/fale_conosco/abaixo-assinado-omb.htm

Paulinho da Viola- Entrevistado pelo programa Memória do Rádio

PAULINHO DA VIOLA - O Nosso Patrono

O Verso "Quando penso no futuro não esqueço meu passado" é creditado por Paulinho da Viola, em "Meu tempo é hoje", como sintese de sua obra, de sua vida. Recolhido de sua "Dança da Solidão"(72). (Pedro Alexandre Sanches - Folh aOn Line - 11/04/2003)

"Eu não costumo brigar com o tempo" afirma Paulinho da Viola (em 09/12/2004 - Folha On line)

"A música de Paulinho da Viola representa um universo particular dentro da cultura brasileira. Experimentá-la é reconhecer que a identidade cultural brasileira não é única, há sempre algo mais." (extraído do site de Paulinho da Viola)

A Obra de Paulinho da Viola já foi tema de livros, trabalhos acadêmicos, gravações e documentário. Em fase de finalizações, se encontra um Documentário realizado pela VideoFilmes com direção de Isabel Jaguaribe e roteiro de Zuenir Ventura. (Confira mais na página - PAULINHO DA VIOLA - Vídeos e muito mais)

-------x-------

AGENDA CULTURAL DA PERIFERIA

A Ação Educativa é uma organização não governamental sem fins lucrativos que desenvolve a apóia projetos voltados para a educação e juventude, por meio de pesquisas, formação, assessoria e produção de informações. Mantém em sua sede o espaço de Cultura e Mobilização Social, aberto ao público, que promove regularmente atividades de formação, intercâmbio e difusão cultural. Vale a pena acessar : http://www.acaoeducativa.org.br/

Confira As Comunidades de SAMBA divulgadas.
-------x-------

Samba do Sino comemora primeiro ano na noite de 15/12/2009 com história do samba

O Movimento Cultural Samba do Sino comemerou 01 ano de vida no último dia 15/12/2009, e presenteia os moradores da cidade com histórias que contam a evolução do samba no Brasil. A proposta nasceu com a idéia de resgatar esse pedaço da cultura popular. (Vanessa Coelho - Guarulhos Web 15/12/2009)